Economistas cravam Selic a 10,75% agora e veem menor crescimento do PIB em 2014

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014 13:59 BRT
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO, 24 Fev (Reuters) - Economistas de instituições financeiras cravaram as apostas de que o Banco Central reduzirá o passo do aperto monetário ao elevar a Selic em 0,25 ponto percentual nesta semana, a 10,75 por cento ao ano, ao mesmo tempo que pioraram suas estimativas sobre o crescimento econômico e a inflação neste ano.

A pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira mostrou que a expectativa para a taxa básica de juros em 2014 continua sendo de 11,25 por cento, com mais duas altas de 0,25 pontos esperadas em abril e em dezembro. Para 2015 também ficou inalterada a projeção de 12,00 por cento.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do BC divulga na próxima quarta-feira a nova Selic, que vem sendo elevada desde abril passado. De lá para cá, ela foi tirada da mínima histórica de 7,25 por cento ao ano para o atual patamar de 10,50 por cento num ritmo de elevação de 0,50 ponto percentual nas últimas decisões.

A expectativa de aumento de 0,25 ponto agora foi reforçada também no mercado futuro de juros, após o governo anunciar nova meta de superávit primário neste ano, a 1,9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), considerada mais crível e com potencial para melhorar a credibilidade do governo.

Pesquisa da Reuters também aponta expectativa de que o BC deve reduzir o ritmo, com 34 de 47 economistas consultados esperando aumento de 0,25 ponto percentual nesta reunião.

Ainda segundo a pesquisa Focus, o Top-5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeções nesse período, ainda vê aperto monetário maior para o ano fechado. A mediana das projeções aponta que a Selic encerrará 2014 a 11,75 por cento e 2015 a 12,25 por cento, sem alterações.

Para esta semana, o Top-5 de curto prazo também espera alta de 0,25 ponto percentual na taxa, menor do que as expectativas da semana anterior, de elevação de 0,5 ponto.

ECONOMIA   Continuação...

 
Um homem sai da sede do Banco Central em Brasília. Economistas de instituições financeiras cravaram as apostas de que o Banco Central reduzirá o passo do aperto monetário ao elevar a Selic em 0,25 ponto percentual nesta semana, a 10,75 por cento ao ano, ao mesmo tempo que pioraram suas estimativas sobre o crescimento econômico e a inflação neste ano. 15/01/2014 REUTERS/Ueslei Marcelino