Dívida corporativa chinesa em US$12 tri impulsiona custos e fusões

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014 12:06 BRT
 

PEQUIM/HONG KONG (Reuters) - A dívida corporativa na China atingiu níveis recordes e deve impulsionar uma onda de reestruturações no país, acarretando mais calotes, em um momento em que crescem problemas de refinanciamento de crédito.

As companhias chinesas não financeiras tinham um total de cerca de 12 trilhões de dólares em dívida com bancos e na forma de bônus no final do ano passado, equivalente a 120 por cento do PIB, segundo estimativas da Standard & Poor's.

O crescimento da dívida de empresas chinesas não tem precedentes. Uma análise feita pela Thomson Reuters com 945 empresas não financeiras médias e grandes, listadas em bolsa, mostrou que a dívida total disparou em mais de 260 por cento, de 1,82 trilhão de iuanes (298,4 bilhões de dólares) para 4,74 trilhões de iuanes (777,3 bilhões de dólares), entre dezembro de 2008 e setembro de 2013.

Embora não se espere uma crise de crédito para o futuro próximo, analistas dizem que companhias dos setores chineses mais alavancados, como máquinas, logística, construção e aço, estão vendendo ativos e realizando fusões para evitar o calote de suas dívidas.

Mais calotes são esperados, disse Christopher Lee, da Standard and Poor's, em Hong Kong. "Os custos para tomar empréstimos já estão subindo devido a uma liquidez mais apertada", disse ele. "No futuro, haverá uma maior diferenciação e discriminação sobre riscos e empréstimos."