27 de Fevereiro de 2014 / às 01:07 / 4 anos atrás

Prejuízo da Vale mais que dobra no 4o tri e derruba lucro em 2013

SÃO PAULO, 26 Fev (Reuters) - A Vale, maior produtora de minério de ferro do mundo, teve prejuízo líquido no quarto trimestre mais de duas vezes superior ao registrado um ano antes, afetada por despesas financeiras, sobretudo pelo pagamento de dívidas tributárias com o governo brasileiro.

A empresa divulgou nesta quarta-feira que teve prejuízo de 6,451 bilhões de dólares de outubro a dezembro, contra perda de 2,615 bilhões de dólares um ano antes.

As perdas derrubaram o lucro em 2013 para 584 milhões de dólares, queda de quase 90 por cento ante 2012, apesar de a companhia ter registrado aumento importante na receita com vendas de minério de ferro, seu principal produto, contando com preços maiores da commodity que compensaram uma queda na produção anual da mineradora.

O prejuízo dos últimos três meses de 2013 também foi pior que o prejuízo de 3,83 bilhões de dólares esperados por analistas, segundo pesquisa Reuters.

O resultado financeiro líquido foi negativo em 4,159 bilhões de dólares no quarto trimestre, prejudicado por despesas de 3,3 bilhões de dólares, principalmente devido aos encargos referentes ao refinanciamento de tributos federais (Refis) acertado com o governo.

Em moeda brasileira, o prejuízo da Vale no quarto trimestre foi de 14,868 bilhões de reais, enquanto o lucro no ano foi de apenas 115 milhões de reais, contra quase 10 bilhões de reais em 2012.

Em novembro passado, a Vale decidiu aderir ao Refis para o pagamento de imposto de renda e contribuição social sobre o lucro líquido de controladas e coligadas no exterior para o período de 2003 a 2012. A companhia decidiu pelo pagamento à vista do principal para os anos de 2003, 2004 e 2006 e o parcelamento do principal, multas e juros para os outros anos.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) ajustado, que exclui efeitos não recorrentes e não caixa, somou 15,137 bilhões de reais no quarto trimestre, contra 9,154 bilhões de reais no mesmo período do ano anterior.

O Ebitda consolidado ficou positivo em 8,451 bilhões de reais nos três meses até dezembro. No quarto trimestre de 2012, ele tinha sido negativo em 3,695 bilhões de reais.

A receita operacional da mineradora no quarto trimestre somou 31,053 bilhões de reais, ante 25,627 bilhões de reais no mesmo período do ano anterior, impulsionada principalmente por maiores preços de minério de ferro seguido por volumes de venda de pelotas, níquel e carvão metalúrgico mais elevados.

Em 2013, a receita operacional totalizou 106,274 bilhões de reais, 11,2 por cento acima do registrado em 2012.

“O segmento de minerais ferrosos contribuiu com 72,1 por cento da receita operacional, enquanto os metais básicos contribuíram com 14,9 por cento, apesar do cenário mais fraco de preços de níquel, cobre e ouro em 2013”, explicou a Vale.

CRESCIMENTO NO MERCADO EM 2014

A receita operacional com o minério de ferro no último trimestre de 2013 somou 19 bilhões de reais, crescimento de quase 4 bilhões de reais na comparação anual, impulsionado pelos preços mais altos do produto.

O preço médio do minério somou 112,97 dólares por tonelada, contra 100,43 dólares no mesmo período do ano anterior.

O aumento no faturamento com minério ocorreu apesar de uma queda de 0,7 por cento no volume vendido, para 73,597 milhões de toneladas.

Para 2014, a Vale trabalha com um cenário de aumento do consumo de seu principal produto.

“Considerando a demanda global, o consumo mundial de minério de ferro pode aumentar para sustentar um crescimento na produção mundial de aço, que estimamos que em 2014 gire em torno de 4 por cento, após crescimento de 5 por cento no ano passado”, disse a empresa no relatório do balanço.

A empresa também vê expansão da oferta global de minério, principalmente em razão da produção na Austrália, e, em menor escala, do Brasil e da Índia.

“Assim, apesar da expansão na oferta, acreditamos que o mercado de minério de ferro permanecerá em equilíbrio uma vez que o setor siderúrgico cresce levemente, sendo impulsionado pela China. Além da China, a demanda por minério de ferro pode aumentar marginalmente, acompanhada da recuperação das economias desenvolvidas”, afirmou.

Em 2013, a produção de minério de ferro da Vale recuou 3 por cento, para 299,79 milhões de toneladas, volume um pouco abaixo da meta de produção da companhia de 306 milhões de toneladas para 2013.

Por Roberto Samora, com reportagem adicional Sabrina Lorenzi; Edição de Cesar Bianconi e Fabíola Gomes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below