Ações europeias reduzem maior parte das perdas por dados dos EUA e Yellen

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014 15:50 BRT
 

Por Atul Prakash

LONDRES, 27 Fev (Reuters) - As ações europeias anularam a maior parte das perdas vista mais cedo na reta final do pregão desta quinta-feira, com dados melhores do que o esperado sobre bens duráveis nos Estados Unidos e declarações da chair do Federal Reserve, Janet Yellen, animando alguns investidores a voltar ao mercado.

O índice FTSEurofirst 300, que chegou a cair 1,0 por cento durante a sessão devido a notícias ruins sobre empresas e tensões na Ucrânia, terminou em queda de 0,24 por cento, a 1.345 pontos.

A recuperação foi auxiliada por dados mostrando que as encomendas de bens manufaturados nos EUA, excluindo transportes, subiram inesperadamente no mês passado.

Embora as declarações de Yellen diante do Comitê Bancário do Senado não indiquem que o banco central dos EUA possa reduzir o ritmo de cortes no estímulo, investidores sentiram-se aliviados pois não houve surpresas negativas, disseram analistas.

"A fala de Yellen indica que têm havindo dados fracos recentemente nos EUA e isso exigiu necessariamente consideração de cortes reduzidos. Isso não significa que esperamos que a retirada do estímulo seja alterada, mas o tom dela foi distintivamente 'dovish' hoje", disse o diretor administratvo do B Capital Wealth Management, Lorne Baring.

"Os mercados estão mostrando algum alívio de que a política monetária pode permanecer expansionista e que o Fed está claramente assumindo uma visão pragmática, trimestre a trimestre", acrescentou.

Yellen disse que o banco central ficará em alerta para ter certeza de que os sinais recentes de fraqueza na economia dos EUA devem-se ao clima frio e às tempestades, e não a sinais de desaceleração mais fundamental.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 0,16 por cento, a 6.810 pontos.   Continuação...