BRF prevê investimento estável em 2014 a R$1,5 bi; ação sobe por fluxo de caixa

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014 14:00 BRT
 

SÃO PAULO, 28 Fev (Reuters) - A empresa de alimentos BRF prevê investimentos de 1,5 bilhão de reais neste ano, mesmo valor aplicado em 2013, com foco em ações para aumentar a produtividade, incluindo as áreas de logística e tecnologia de informação, disseram executivos da companhia nesta sexta-feira.

"O Capex (investimento) agora não vai ser mais direcionado para aumento de produção, mas para aumento de produtividade, com investimento em tecnologia da informação e logística", disse o presidente executivo, Claudio Galeazzi, em conferência com analistas para comentar os resultados trimestral da companhia.

A empresa, líder nas vendas globais de carne de frango e quarta maior exportadora do país, registrou queda de 60 por cento no seu lucro do último trimestre, em resultado abaixo do esperado por analistas e pela própria empresa.

"A BRF teve pontos de fragilidade no último trimestre, com produtos disponíveis nos locais errados, e deixou de fazer entregas", disse o executivo.

Apesar do forte recuo no lucro do último trimestre, o aumento expressivo no fluxo de caixa livre foi considerado pelo mercado como um fator favorável, colaborando para uma alta dos papéis da companhia nesta sexta-feira.

Às 13h55, a ação da BRF subia 5,53 por cento, a 43,16 reais, enquanto o Ibovespa tinha queda de 1,01 por cento.

O fluxo de caixa livre no último trimestre alcançou 578,2 milhões de reais, contra os 197,9 milhões de reais mesmo trimestre do ano anterior. No terceiro trimestre, este indicador somava 518,2 milhões de reais.

"Este incremento se deve a melhoria operacional no período, maior eficiência em capital de giro e Capex", informou a companhia em seu relatório trimestral.

Os analistas do BTG, em relatório ao mercado após a conferência, disseram sentir falta de mais detalhes sobre as expectativas com sinergias em 2014, mas ponderaram que o forte fluxo de caixa livre registrado pela BRF deve "fornecer um piso para os preços das ações".   Continuação...