Brasil tem primário de R$20 bi em janeiro com governos regionais, mas não anima

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014 17:26 BRT
 

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA, 28 Fev (Reuters) - O Brasil registrou superávit primário de 19,921 bilhões de reais em janeiro, quase 35 por cento a menos do que um ano antes, mas apenas um pouco abaixo do esperado pelo mercado, com destaque para o desempenho recorde dos Estados e municípios.

Esse bom desempenho dos governos regionais, no entanto, não pode ser visto como tendência, acendendo uma luz amarela sobre a capacidade do governo em cumprir a nova meta fiscal.

Em janeiro, o setor público consolidado --governo central, Estados, municípios e estatais-- registrou superávit primário de 19,921 bilhões de reais em janeiro, segundo informou o Banco Central nesta sexta-feira.

Em 12 meses até janeiro, a economia feita para pagamento de juros foi equivalente a 1,67 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), aquém do 1,90 por cento visto em dezembro.

Analistas consultados pela Reuters previam, pela mediana, saldo primário positivo do setor público de 21,20 bilhões de reais no mês passado.

O superávit de janeiro veio do saldo positivo de 7,241 bilhões de reais nos governo regionais (Estados e municípios), recorde histórico da série do BC iniciada em 2001, beneficiados pela forte transferência de recursos do governo federal.

"(É um momento) atípico porque foi um mês em que os Estados e municípios receberam o Refis (programa de refinanciamento de tributos) deles e é de se esperar que ao longo do ano esses recursos sejam gastos", disse o ex-secretário do Tesouro e economista-chefe do banco J. Safra, Carlos Kawall, para quem a meta de primário deste ano pode ser cumprida.

"Mas não foi uma boa largada", acrescentou ele.   Continuação...