BC da China alerta para não se tirar muitas conclusões de queda do iuan

segunda-feira, 3 de março de 2014 10:48 BRT
 

PEQUIM, 3 Mar (Reuters) - O banco central da China minimizou nesta segunda-feira a recente queda do iuan, afirmando que a segunda maior economia do mundo está em boa forma e que a desvalorização da moeda não reflete os fundamentos.

O iuan sofreu sua maior queda semanal em 20 anos na semana passada ao perder 0,9 por cento, uma queda insignificante se comparada ao padrão de outras moedas importantes, mas uma importante marca para o iuan, cujo valor é fortemente controlado pela China para evitar fortes oscilações.

"Os fundamentos do crescimento econômico da China são bons", disse Yi Gang, vice-presidente do BC chinês, a repórteres às vésperas da reunião anual do Parlamento da China. "Por favor, não se preocupem. A flutuação do iuan é normal."

Traders disseram que a abrupta queda do iuan foi orquestrada pelo BC em uma ação alinhavada com bancos estatais para pressionar investidores que haviam feito grandes apostas de que a moeda continuaria a se fortalecer.

A repentina mudança também provocou temores entre alguns investidores de que a economia da China estaria esfriando mais rápido do que o imaginado, o que levaria autoridades a deliberadamente desvalorizar o iuan para manter as exportações competitivas --uma noção descartada por alguns economistas.

Yi alertou contra ligar o recente declínio do iuan ao cenário da economia.

"Não precisamos tirar muitas conclusões da recente flutuação da taxa de câmbio do iuan", disse ele, acrescentando que a China está se atendo aos planos de torná-lo uma moeda conversível, ou que possa ser usada em mercados globais com poucas restrições.

A repentina queda do iuan provocou especulações de que a China estaria se preparando para ampliar a banda de negociação diária do iuan. O iuan pode atualmente subir ou cair 1 por cento ao dia em relação ao ponto médio determinado pelo BC.

(Reportagem de Shao Xiaoyi e Koh Gui Qing)