Dietas globais semelhantes ameaçam segurança alimentar, diz estudo

segunda-feira, 3 de março de 2014 18:29 BRT
 

OSLO, 3 Mar (Reuters) - O aumento da similaridade nas dietas em todo o mundo é uma ameaça à saúde e à segurança alimentar, com muitas pessoas abandonando culturas tradicionais em seus países, como mandioca, sorgo ou milheto, mostrou um estudo internacional nesta segunda-feira.

O relatório, que disse que detalhou pela primeira vez a convergência de safras no sentido de uma dieta universal em mais de 150 países desde 1960, mostrou aumentos no consumo de alimentos como trigo, arroz, soja e girassol.

"Mais pessoas estão consumindo mais calorias, proteínas e gorduras, e eles confiam cada vez mais em uma lista das principais culturas alimentares... junto com carne e produtos lácteos", disse o líder do estudo do Centro Internacional de Agricultura Tropical na Colômbia, Colin Khoury, em um comunicado.

Tais dietas têm sido associadas a riscos de doenças cardíacas, câncer e diabetes, diz o estudo.

A dependência de um grupo menor de culturas alimentares também aumenta a vulnerabilidade a pragas e doenças.

No geral, as dietas se tornaram 36 por cento mais semelhantes nos últimos 50 anos, considerando mudanças no consumo de mais de 50 safras para calorias e proteínas, segundo o estudo.

A convergência "continua sem indicação de desaceleração", segundo o estudo publicado na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências.

O óleo de soja, óleo de girassol e de palma tornou-se parte da "oferta global de alimentos padrão" ao lado de culturas como o trigo, o arroz, o milho e a batata, mostrou o estudo.

O aumento da renda nas economias emergentes significou um maior consumo de produtos como carnes e bebidas açucaradas, que são típicas das dietas ocidentais.   Continuação...