Carrefour pode buscar IPO no Brasil em 2015 e vê expansão da rede no país

quarta-feira, 5 de março de 2014 10:42 BRT
 

PARIS (Reuters) - O Carrefour pode buscar uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) no Brasil em 2015, afirmou o presidente-executivo da segunda maior rede varejista do mundo, Georges Plassat, acrescentando que nada está decidido por enquanto.

Durante a apresentação de resultados da companhia, o executivo afirmou que o grupo também avalia abrir o capital das operações no Brasil para um investidor local. Em ambos os casos, afirmou Plassat, o Carrefour manterá o controle da operação.

A companhia divulgou um aumento no lucro nesta quarta-feira, com o trabalho de reestruturação das operações na França começando a surtir resultado. O Carrefour também afirmou que investirá mais neste ano para reviver seus hipermercados na Europa e se expandir na China e no Brasil.

A empresa disse que o lucro operacional do ano passado subiu 5,3 por cento, ligeiramente acima do esperado, para 2,238 bilhões de euros (3,1 bilhões de dólares), impulsionado por uma melhoria acentuada da rentabilidade no mercado doméstico, bem como por um crescimento robusto na América Latina, a despeito do desempenho de Espanha, Itália e Ásia ter permanecido fraco.

O Carrefour informou que a margem operacional na França, país responsável por 47 por cento da receita da companhia, subiu para 3,4 por cento das vendas, ajudando a elevar a margem do grupo para 3 por cento, ante 2,6 por cento em 2012. O percentual, porém, ainda é inferior aos 4,9 por cento alcançados pelo rival francês de menor porte Casino, que controla o Grupo Pão de Açúcar, maior varejista do Brasil.

Na América Latina, o Carrefour registrou crescimento orgânico de vendas de 12,3 por cento, comparado com 12,5 por cento em 2012. Segundo a companhia, houve melhora da rentabilidade na região, com aceleração a partir do segundo semestre.

Chamando o desempenho no Brasil de "excelente" em todos os formatos, o Carrefour afirmou que os hipermercados no país continuaram a melhorar sua performance, enquanto a rede de atacarejo Atacadão consolidou liderança, encerrando o ano com quase 100 lojas no país.

Quando ajustadas pelo câmbio, no entanto, as vendas líquidas no Brasil caíram 3,7 por cento no ano, a 10,9 bilhões de euros. O fator cambial também afetou o resultado geral da América Latina, que viu um declínio de 2,7 por cento na mesma linha, a 13,8 bilhões de euros.

No resultado geral do grupo, houve recuo de 1 por cento nas vendas líquidas anuais, para 74,9 bilhões de euros. Desconsiderado o impacto das moedas, as vendas teriam avanço de 2 por cento em 2013, disse o Carrefour.   Continuação...

 
O presidente-executivo do Carrefour, Georges Plassat, posa para fotos antes da apresentação dos resultados anuais de 2013 da companhia em Paris. O Carrefour pode buscar uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) no Brasil em 2015, afirmou o presidente-executivo da segunda maior rede varejista do mundo, Georges Plassat, acrescentando que nada está decidido por enquanto. 05/03/2014 REUTERS/Benoit Tessier