Regulador italiano diz que Novartis e Roche conspiraram em venda de remédio

quarta-feira, 5 de março de 2014 09:29 BRT
 

ZURIQUE/MILÃO, 5 Mar (Reuters) - As autoridades antitruste da Itália disseram que a Novartis e a Roche conspiraram para tentar interromper que a droga contra câncer Avastin fosse usada para tratar uma doença ocular grave, e multaram as farmacêuticas suíças em 182,5 milhões de euros (251 milhões de dólares).

Em um comunicado nesta quarta-feira, o regulador italiano acusou as duas empresas de fazerem uma aliança para impedir a distribuição do Avastin, da Roche, para o tratamento de degeneração macular relacionada à idade em favor da droga mais cara Lucentis, feita pela Novartis.

O regulador multou a Novartis em 92 milhões de euros (126,4 milhões de dólares) e a Roche em 90,5 milhões de euros.

Novartis e Roche negaram veementemente as afirmações do regulador e disseram que iriam recorrer.

Embora as multas sejam relativamente pequenas, elas destacam como governos com caixa apertado estão examinando mais de perto a forma como as empresas farmacêuticas vendem seus produtos.

O Lucentis é comercializado pela Novartis fora dos Estados Unidos e é um medicamento importante para a empresa, com vendas de 2,38 bilhões de dólares no ano passado -- seu terceiro remédio mais vendido.

As vendas do Lucentis para a Roche, que comercializa o medicamento nos Estados Unidos, foram de 1,69 bilhão de francos suíços em 2013.

(Por Katharina Bart e Caroline Copley em Zurique e Silvia Aloisi em Milão)