Governo estuda PLD médio para exposição ao curto prazo de energia, dizem fontes

quinta-feira, 6 de março de 2014 19:15 BRT
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA, 6 Mar (Reuters) - O governo estuda definir um preço médio da energia de curto prazo para as distribuidoras expostas ao mercado, numa ação que poderia reduzir a necessidade de aportes do Tesouro Nacional para ajudar essas companhias, disseram à Reuters duas fontes, uma do governo e outra do setor privado, nesta quinta-feira.

Com a falta de chuvas e o consequente acionamento das termelétricas diante do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), que é calculado semanalmente, disparou para a máxima definida para 2014, de 822,83 reais por megawatt/hora (MWh). O PLD está estacionado aí desde o fim de janeiro.

O PLD, pela forma como é estabelecido hoje, leva em conta o custo da energia mais cara da usina que está em funcionamento, no caso, de origem térmica. Quando uma distribuidora precisa contratar energia no curto prazo para atender à demanda, é obrigada a pagar o PLD.

A proposta que estaria em análise pelo governo consiste em não mais aplicar o PLD "da ponta" para a energia das distribuidoras expostas ao mercado de curto prazo, e sim uma espécie de "PLD médio", disse a fonte do governo, que falou sob condição de anonimato.

"Não é adequado valorar 3 mil megawatts (MW) pelo preço da térmica mais cara", disse a fonte do governo, referindo-se ao volume aproximado de carga a qual as distribuidoras de energia estão expostas. "Isso tudo são possibilidades, não há decisão", destacou a mesma fonte.

Segundo a fonte do setor privado, o PLD médio seria feito levando em consideração apenas as térmicas, e não o custo do sistema brasileiro elétrico todo, que é baseado majoritariamente na fonte hídrica e, portanto, mais barata.

Os estudos envolveriam os ministérios de Minas e Energia e da Fazenda, de acordo com a fonte do governo.

Segundo uma outra fonte do governo, o tema da redução dos custos da energia foi tratado diretamente pela presidente Dilma Rousseff nesta quinta-feira, em conversas com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.   Continuação...