Lufthansa restaura dividendos conforme reestruturação dá frutos

quinta-feira, 13 de março de 2014 11:31 BRT
 

FRANKFURT, 13 Mar (Reuters) - A Lufthansa, a maior companhia aérea da Alemanha, restaurou seu pagamento de dividendo e projetou que o lucro operacional vai crescer mais que o esperado este ano, à medida que o corte de custos e a reestruturação em seu negócio de transporte de passageiros dá frutos.

A Lufthansa, que tem outras operações incluindo transporte de carga, TI e manutenção, tem como meta aumentar o lucro operacional para 2015 em 1,5 bilhão de euros (2,1 bilhões de dólares) em comparação a 2011 através de seu programa de reestruturação.

O progresso no plano iniciado em 2012 foi limitado anteriormente pela contínua lentidão da economia europeia e por custos de combustível.

O grupo disse nesta quinta-feira que o lucro operacional em suas companhias aéreas Lufthansa e Germanwings combinadas subiu 240 milhões de euros, alcançando 265 milhões de euros em 2013 graças ao programa.

"Todos os segmentos de negócios são lucrativos", disse a vice-presidente financeira Simone Menne a jornalistas.

Menne disse que embora a economia esteja melhorando, a competição permanece acirrada, o que significa que os resultados melhores se devem ao programa de reestruturação.

A Lufthansa passou para um lucro operacional melhor que o esperado de 36 milhões de euros no trimestre, sobre receita de 7,26 bilhões de euros. A companhia disse que proporá pagamento de um dividendo de 0,45 euro por ação para 2013, maior que a expectativa média de pagamento de 0,16 euro por papel.

(Por Victoria Bryan e Peter Maushagen)

 
O logotipo da companhia aérea alemã Lufthansa visto em um modelo em escala de um Boing 777, durante a coletiva anual de imprensa da companhia em Frankfurt. A Lufthansa, a maior companhia aérea da Alemanha, restaurou seu pagamento de dividendo e projetou que o lucro operacional vai crescer mais que o esperado este ano, à medida que o corte de custos e a reestruturação em seu negócio de transporte de passageiros dá frutos. 13/03/2014 REUTERS/Kai Pfaffenbach