Brasil crê em ganhos na venda de frango para Ásia apesar de gripe aviária

sexta-feira, 14 de março de 2014 16:03 BRT
 

SÃO PAULO, 14 Mar (Reuters) - O Brasil acompanha com atenção os surtos de gripe aviária em países asiáticos, onde vê grandes chances de expandir vendas de carne de frango, apesar do impacto negativo inicial com a doença que levanta desconfianças no consumidor, disse nesta sexta-feira o presidente da associação que reúne a indústria brasileira.

"A primeira reação é a redução do consumo. Isso afeta as plantas locais, porque cria desconfiança, mas depois o consumo volta com intensidade", disse o presidente da União Brasileira de Avicultura (Ubabef), Francisco Turra, ressaltando que o potencial crescimento futuro é enorme.

Surtos de gripe aviária têm sido registrados na China, Coreia do Sul e Hong Kong, levando esses países a reduzirem parte do seu plantel de aves para conter avanço da doença.

Em entrevista à Reuters, Turra ressaltou a dificuldade para controlar a gripe aviária nos países asiáticos, onde aves migratórias são consideradas fontes suspeitas do surto. Já a dimensão continental do Brasil facilita o controle local, favorecendo o país nesta questão, acrescentou.

O Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo.

A maior parte da expectativa de crescimento das vendas nos próximos anos será na Ásia, disse o executivo.

Ele aponta a possível abertura de novos mercados, como na Indonésia, Myanmar, Vietnã e Malásia, entre outros, além da expectativa da habilitação de novas plantas na China.

A China recentemente habilitou mais cinco unidades avícolas brasileiras para exportação àquele mercado, elevando para um total de 29 unidades.

Já a Malásia enviará missão técnica ao Brasil no início do próximo mês, para vistoriar unidades e avaliar condições da indústria de carne de frango no país.   Continuação...