Economistas elevam projeção de inflação a 6,11% em 2014

segunda-feira, 17 de março de 2014 11:01 BRT
 

SÃO PAULO, 17 Mar (Reuters) - Economistas de instituições financeiras elevaram a perspectiva de inflação para este ano a 6,11 por cento, 0,10 ponto percentual acima do que na semana passada, aproximando a taxa do teto da meta do governo, diante de sinais de aceleração dos preços.

A pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira mostrou ainda que os economistas melhoraram levemente a perspectiva de crescimento da economia para este ano a 1,70 por cento, ante 1,68 por na semana passada.

Em fevereiro, o IPCA acelerou a alta a 0,69 por cento, um pouco acima do esperado, e, em 12 meses, chegou a 5,68 por cento, segundo dados divulgados na semana passada.

Para março, a pesquisa também aponta aceleração dos preços para 0,62 por cento. Na pesquisa da semana anterior, a estimativa estava em 0,56 por cento.

A deterioração da expectativa de preços ocorre num momento em que o Banco Central desacelerou o processo de aperto monetário. Na última reunião do Copom, o BC elevou a Selic em 0,25 ponto percentual, para 10,75 por cento, deixando a porta aberta para mais uma alta. Até agora a Selic já foi elevada em 3,50 pontos percentuais e a expectativa é de mais uma alta de 0,25 ponto, para 11 por cento ao ano.

Apesar disso, a perspectiva para a inflação nos próximos 12 meses no Focus foi mantida em 6,12 por cento. A meta de inflação é de 4,5 por cento, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou menos.

Para 2015, a projeção de inflação foi mantida em 5,70 por cento.

SELIC E PIB

O Focus mostrou que os economistas mantiveram a expectativa para a Selic neste ano em 11,00 por cento, com a perspectiva de nova elevação de 0,25 ponto percentual na reunião de abril do Comitê de Política Monetária (Copom).   Continuação...

 
Vista aérea da sede do Banco Central, em Brasília. Economistas de instituições financeiras elevaram a perspectiva de inflação para este ano a 6,11 por cento, 0,10 ponto percentual acima do que na semana passada, aproximando a taxa do teto da meta do governo, diante de sinais de aceleração dos preços. 20/01/2014 REUTERS/Ueslei Marcelino