ENTREVISTA-Apesar de turbulências, Moody's mantém avaliação sobre Brasil e outros emergentes

segunda-feira, 17 de março de 2014 13:58 BRT
 

Por Marc Jones

LONDRES, 17 Mar (Reuters) - A Moody's não alterou a análise de fundamentos sobre países como Brasil, Turquia, África do Sul, Índia e Indonésia, apesar da volatilidade que vem assombrado esses mercados, disse o principal analista soberano da agência de classificação de risco, Bart Oosterveld.

Contudo, Oosterveld afirmou, em entrevista à Reuters, que a Ucrânia e a Rússia são casos especiais. No domingo, a população da Crimeia aprovou com ampla maioria a anexação da região do sul da Ucrânia à Rússia, em referendo classificado como ilegal por Kiev e pelo Ocidente.

A intensidade e a duração de quaisquer sanções ocidentais à Crimeia será importante fator para decidir a postura da agência sobre a Rússia, disse Oosterveld.

O Ocidente impôs sanções nesta segunda-feira, incluindo o congelamento de ativos e proibições de viagem de autoridades da Rússia e da Ucrânia. Mais medidas podem ser adotadas nos próximos dias caso a Rússia decida anexar formalmente a Crimeia.

Oosterveld afirmou que o rating "Baa1" e a perspectiva estável são motivados pela resiliência do balanço patrimonial do governo. "Sanções poderiam afetar a economia e o comércio russos se forem severas e duradouras o suficiente... mas também há países que seriam afetados no outro lado dessa equação", disse.

Ele referia-se a economias como a Alemanha, que compra boa parte de seu gás natural da Rússia. Países do leste europeu também poderiam sofrer se os benefícios econômicos das ligações com o país forem atingidos por sanções.

Segundo o analista, a Moody's acredita ainda que diminuiu a probabilidade de as economias mais fortes da zona do euro tenham de resgatar outros países mais fracos.

A Moody's tem sido a agência de classificação de risco mais pessimista sobre a zona do euro. Mas essa postura está mudando.   Continuação...

 
Um homem passa na frente de uma corretora de câmbio em Moscou. A Moody's não alterou a análise de fundamentos sobre países como Brasil, Turquia, África do Sul, Índia e Indonésia, apesar da volatilidade que vem assombrado esses mercados, disse o principal analista soberano da agência de classificação de risco, Bart Oosterveld. 03/03/2014 EUTERS/Maxim Shemetov