Alemanha e Comissão Europeia estão perto de acordo sobre subsídios de energia

segunda-feira, 17 de março de 2014 15:16 BRT
 

BERLIM, 17 Mar (Reuters) - A Comissão Europeia e o governo alemão chegaram a um amplo acordo sobre a disputa de isenções de encargos de energia renovável que Berlim garante à indústria pesada, disseram fontes do governo e da indústria alemã nesta segunda-feira.

Um acordo sinalizaria o fim de uma disputa que tem perturbado indústrias intensivas em energia na maior economia da Europa e fez com que o governo enfrentasse uma investigação por Bruxelas sobre se as isenções davam vantagens injustas às empresas.

"Estamos em acordo em quase todas as questões", disse um representante do governo à Reuters.

As fontes disseram que a isenção à industria de custos relacionados à energia renovável seria limitada a setores sensíveis à exportação, como alumínio, produtos químicos, papel e aço.

As grandes empresas com mais de 100 gigawatts-hora (GWh) de consumo anual de eletricidade também seriam quase completamente isentas de tais custos.

A Comissão tem dito que os descontos alemães à indústria, no valor de 5,1 bilhões de euros em 2014, podem em alguns casos ser justificados para manter empresas eletrointensivas na Europa, mas que tinha preocupações.

Cerca de 2 mil consumidores eletrointensivos como Basf e ThyssenKrupp foram isentos de um encargo para pagar pela desistência da Alemanha da energia nuclear e mudança para energia renovável. Consumidores comuns têm que pagar a taxa.

Essas empresas enfrentam a possibilidade de ter que pagar de volta os descontos se a União Europeia considerá-los injustos. As fontes disseram que não havia acordo sobre se haverá um repagamento.

(Por Markus Wacket)