Kroton estima melhoras expressivas nos resultados operacionais de 2014; ações saltam

terça-feira, 18 de março de 2014 14:51 BRT
 

SÃO PAULO, 18 Mar (Reuters) - A empresa de educação Kroton previu nesta terça-feira melhoras expressivas nos seus resultados operacionais de 2014, em estimativas que, aliadas aos números positivos do quarto trimestre, faziam as ações da companhia figurarem entre as maiores altas do Ibovespa.

Em teleconferência com analistas, o presidente da Kroton, Rodrigo Galindo, afirmou que novos projetos implementados pela companhia ao longo deste ano contribuirão para uma elevação na base de alunos, e, consequentemente, para um avanço da receita líquida estimado em 22 por cento, chegando a 2,465 bilhões de reais.

Entre as iniciativas, estão projetos ligados ao ensino adaptativo, aprovação de mais cursos de graduação e credenciamento de novas unidades e polos, disse o executivo.

Para o lucro líquido ajustado de 2014, a expectativa é de uma alta de 31 por cento sobre o ano passado, chegando a 760 milhões de reais.

Embora a companhia calcule um avanço de 25 por cento na geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, a 910 milhões de reais, a evolução das margens não deverá ser tão expressiva como a que ocorreu em 2013.

No ano passado, a margem Ebitda ajustada da Kroton subiu 8,6 pontos percentuais, a 36,1 por cento, num movimento atribuído por Galindo à acomodação de mais alunos nas salas de aula. Para 2014, a expectativa é bem mais modesta, de uma alta de 0,8 ponto percentual.

"Em 2013, as salas já começaram mais cheias e a oportunidade de termos salas cada vez mais cheias é limitada", disse o executivo. Ele ressalvou, por outro lado, que a estimativa é conservadora e corresponde ao que a companhia está "absolutamente confortável em passar".

"Quando o processo de captação e rematrícula do segundo semestre tiver mostrado sua cara, a gente volta para o mercado para passar como ele está indo e revisar ou não o guidance", afirmou Galindo.

"Temos sim oportunidades acima da margem de 36,9 por cento (esperada para o ano) ... mas só prometemos aquilo que temos convicção que podemos entregar."   Continuação...