21 de Março de 2014 / às 16:20 / em 3 anos

Margem mais alta de lançamentos deve compensar venda de estoques, diz Cyrela

Trabalhadores vistos em um prédio em construção em São Paulo. O estoque pronto de imóveis da Cyrela Brazil Realty não deve baixar no curto prazo, e a margem das vendas destes empreendimentos, normalmente mais baixas, serão compensadas pelos novos lançamentos. 02/06/2011Nacho Doce

RIO DE JANEIRO, 21 Mar (Reuters) - O estoque pronto de imóveis da Cyrela Brazil Realty não deve baixar no curto prazo, e a margem das vendas destes empreendimentos, normalmente mais baixas, serão compensadas pelos novos lançamentos.

"O nosso objetivo é redução total do estoque pronto da companhia que está ficando pronto, para conseguir gerar caixa", disse o diretor financeiro e de relações com investidores da companhia, Eric Alencar, em teleconferência com jornalistas.

A companhia divulgou na véspera um lucro líquido de 183 milhões de reais no quarto trimestre e encerrou o período com estoque de 6,7 bilhões de reais, sendo 14 por cento estoque concluído.

Segundo o executivo, a oferta de descontos a compradores não é uma das prioridades da companhia, acrescentando que as medidas para alavancar as vendas serão analisadas caso a caso.

"Um estoque que perde valor, ele influencia negativamente na margem da companhia, mas isso não é necessariamente problema, os novos lançamentos compensam isso, porque estão com margens muito boas", acrescentou.

Mas a companhia não espera uma redução do estoque pronto no curto prazo, que só deve baixar no médio e longo prazos, principalmente pela entrega de empreendimentos em praças consideradas difíceis, como Vitória (ES) e Salvador (BA).

A Cyrela estimou na noite de quinta-feira uma margem bruta entre 31 e 35 por cento em 2014.

Segundo Alencar, o mercado apresenta uma demanda saudável neste início de ano, sem fornecer mais detalhes ou informações sobre as vendas no período, mas mencionando "uma continuidade do que a gente viu no ano passado".

A companhia apresentou no trimestre um consumo de caixa operacional de 134 milhões de reais, com o impacto de aquisição do terreno "Terra Encantada", no Rio de Janeiro. No ano, a geração de caixa atingiu 201 milhões de reais contra 277 milhões de reais no ano anterior.

"A gente espera uma geração positiva neste ano. Depende das entregas e também do estoque pronto", afirmou Alencar, acrescentando que se aparecerem bons terrenos, a Cyrela irá comprá-los.

Ele também falou de outras possibilidades para o uso do caixa, sem dar mais detalhes, mencionando recompra de ações, dividendos ou redução do endividamento.

Às 12h50, as ações da companhia recuavam 0,48 por cento, a 12,54 reais, ante alta de 0,72 por cento do Ibovespa.

Por Juliana Schincariol

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below