Mexicana Pemex fecha lista de campos petrolíferos que quer manter

sábado, 22 de março de 2014 12:24 BRT
 

CIDADE DO MÉXICO, 22 Mar (Reuters) - A estatal petrolífera mexicana Pemex, disse na sexta-feira, que enviou à Secretaria de Energia (Sener), uma lista dos campos de petróleo e gás que quer manter como parte de uma ampla reforma no setor de energia, mas recusou-se a torná-la pública.

De acordo com a reforma energética, aprovada em dezembro, a Pemex tinha até 21 de março para entregar essa lista às autoridades, como parte da chamada "Rodada Zero" de distribuição de campos.

De posse dessa lista, a secretaria tem até meados de setembro para determinar se a Pemex tem os recursos financeiros e técnicos para desenvolver os campos que quer, mas não há detalhes sobre os critérios utilizados para fazer isso.

Antes da reforma, a Pemex era a única empresa autorizada a produzir petróleo e gás no México, o décimo maior produtor de óleo cru do mundo.

Em um comunicado, a Pemex disse que apresentou a lista, assim como também um plano de desenvolvimento "das áreas e campos requisitados, inclusive com a descrição dos trabalhos e investimentos a serem realizados."

Quanto à publicação da lista, um porta-voz da Pemex disse que "a bola está no campo da Sener."

Um porta-voz da Secretaria de Energia não respondeu aos telefonemas e e-mails da Reuters para comentar o assunto.

O diretor geral da Pemex, Emilio Lozoya, disse no mês passado que a empresa tentará manter na Rodada Zero a grande maioria dos campos de petróleo e gás que tem explorado, assim como todas as áreas que estão atualmente em produção, e não deu maiores detalhes.

Mas ele acrescentou que a Pemex não vai tentar manter o controle de todas as áreas de águas profundas no Golfo do México, onde há expectativas de que o país tenha cerca de 30 bilhões de barris de petróleo equivalente.

O resultado da Rodada Zero será crucial para determinar as áreas disponíveis tanto em terra firme, quanto costa afora, para a participação de grandes empresas petrolíferas internacionais em licitações públicas, previstas para acontecer em meados de 2015.

(Reportagem de David Alire Garcia)