Necessidade de aporte do Tesouro no BNDES em 2014 será menor que em 2013

terça-feira, 25 de março de 2014 15:08 BRT
 

BRASÍLIA, 25 Mar (Reuters) - A necessidade de aporte do Tesouro no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) neste ano será menor que o feito em 2013, afirmou o presidente do banco Luciano Coutinho a jornalistas nesta terça-feira, após participar de audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

"Nosso compromisso é ter neste ano um volume de aportes menor, em sintonia com a política fiscal", disse Coutinho, citando que os aportes menores relacionam-se com a nova política operacional anunciada pelo banco no final do ano passado, que prevê reduzir a participação do BNDES em operações que não sejam prioritárias.

"É uma política que usa menos TJLP para atividades onde o mercado pode financiar junto", disse, acrescentando que as prioridades do BNDES seriam os investimentos em infraestrutura e em programas sociais e de incentivo à inovação.

Sobre o empréstimo de até 8 bilhões de reais a ser captado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e repassado às distribuidoras de energia, Coutinho disse que o banco vai considerar, mas salientou que a "preferência é que seja um sistema compartilhado de financiamento sob liderança de bancos privados".

"Não é muito o perfil (do BNDES), porque é um financiamento de curto prazo, mas queremos ajudar o processo, então consideraremos, depois que a modelagem esteja concluída", disse Coutinho.

(Por Leonardo Goy)