Com atuação extra do BC, dólar fecha em alta e patamar de R$2,30 é testado

quarta-feira, 26 de março de 2014 17:12 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 26 Mar (Reuters) - Num dia de atuação extraordinária do Banco Central, o dólar interrompeu quatro sessões de quedas consecutivas e fechou em alta ante o real, com investidores buscando entender a estratégia da autoridade monetária, sob a suspeita de que o nível de 2,30 reais pode se firmar como um piso para o câmbio neste momento.

A moeda norte-americana subiu 0,10 por cento, a 2,3084 reais na venda, após chegar a 2,2926 reais na mínima do dia. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,8 bilhão de dólares.

"O BC mostrou que está ativo. Está tentando defender esse nível, mas sem fazer alarde", disse o analista de uma gestora de recursos internacional, ressaltando que o piso de 2,30 reais é "confortável" para a autoridade monetária, pois não prejudica a indústria nem pressiona a inflação.

No início da sessão, o BC vendeu apenas 2,4 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes a venda futura de dólares, da oferta diária de 4 mil, com volume equivalente a 118,9 milhões de dólares.

Com isso, o dólar anulou a queda e passou a subir, batendo na máxima de 2,3207 reais na venda. Boa parte dos especialistas interpretou a intervenção como sinal de que o BC não estaria confortável com a moeda norte-americana abaixo de 2,30 reais, que também prejudicaria as exportações.

Nos últimos quatro pregões, o dólar recuou ante o real, acumulando desvalorização de 1,82 por cento no período, movimento estimulado pelo quadro de maior otimismo nos mercados internacionais e ingresso de recursos no Brasil.

"Para bom entendedor, pingo no 'i' é letra. O recado é esse: o mercado vai ter que trabalhar com piso", chegou a dizer mais cedo o especialista em câmbio da corretora Icap, Italo Abucater.

Logo em seguida, no entanto, o BC anunciou outro leilão de swap cambial tradicional para ofertar justamente o montante que ficou de fora em sua ração diária: 1,6 mil contratos.   Continuação...