Temores sobre sanções à Rússia abalam Wall Street; ações de tecnologia pesam

quarta-feira, 26 de março de 2014 18:17 BRT
 

Por Ryan Vlastelica

NOVA YORK, 26 Mar (Reuters) - As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em queda nesta quarta-feira, lideradas pelas perdas de ações de companhias de matérias-primas e de tecnologia, diante de maiores preocupações geopolíticas após os EUA e a União Europeia firmarem acordo para trabalhar juntos em sanções mais duras contra a Rússia.

O índice Dow Jones recuou 0,60 por cento, para 16.268 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 0,70 por cento, para 1.852 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 1,43 por cento, para 4.173 pontos.

O dia foi de bastante volatilidade, com as ações operando no terreno positivo durante grande parte da manhã, após dados econômicos apontarem para melhora da economia norte-americana. Mas os principais índices acionários reverteram o curso durante a tarde por conta da queda acentuada do setor de tecnologia.

O papel do Facebook registrou um dos piores desempenhos da sessão, com queda de quase 7 por cento, após a gigante de mídia social ter anunciado na véspera a compra da empresa Oculus VR, fabricante de óculos virtuais para jogos, por 2 bilhões de dólares.

Os EUA e a União Europeia (UE) concordaram em trabalhar em conjunto para preparar sanções econômicas mais duras em resposta à atitude da Rússia em relação à Ucrânia. As sanções podem incluir o setor de energia.

O presidente norte-americano Barack Obama disse, após encontro com autoridades da UE, que o presidente russo Vladimir Putin cometeu um erro se ele achou que poderia dividir o Ocidente ou contar com a indiferença para a anexação da Crimeia.

"Isso poderia ser um não-evento se o mercado acionário não estivesse no nível que está agora. Ainda estamos perto dos níveis recordes, esse tipo de notícia geopolítica pode deixar investidores mais nervosos", afirmou o economista-chefe para mercado da Rockwell Global Capital, Peter Cardillo, em Nova York.

O índice de volatilidade, usado para medir a confiança do investidor em Wall Street, subiu 6,5 por cento, para 14,93 pontos. O índice geralmente se move no sentido contrário ao do S&P 500, o que não aconteceu nesta sessão.

O índice do setor de matérias-primas do S&P recuou 1,4 por cento, e teve a maior queda entre os dez índices setoriais do S&P.

Entre os últimos dados econômicos, as encomendas de bens duráveis dos EUA cresceram mais do que o esperado em fevereiro, encerrando dois meses seguidos de queda. Além disso, a atividade econômica do setor privado norte-americano acelerou em março, de acordo com o Índice de Gerentes de Compras preliminar (PMI, na sigla em inglês).