Embraer não vê efeitos de rebaixamento de rating do Brasil na empresa

quinta-feira, 27 de março de 2014 13:43 BRT
 

SOROCABA (Reuters) - A Embraer não se vê atingida pelo rebaixamento da nota soberana do Brasil pela agencia de classificação de risco Standard & Poors, afirmou o presidente da Embraer Aviação Executiva, Marco Tulio Pellegrini.

A agência rebaixou o rating do Brasil no início da semana, de "BBB" para "BBB-".

"Temos uma operação global e isso não deve nos afetar", disse Pellegrini a jornalistas, após cerimônia de inauguração de centro de serviços para jatos executivos em Sorocaba (SP), que consumiu investimentos de 50 milhões de reais.

A empresa possui rating "BBB" pela Standard & Poors, com perspectiva estável, acima da nota brasileira.

Pellegrini afirmou também que a desaceleração da economia brasileira não modifica as expectativas para o mercado nacional de aviação executiva.

"O Brasil deve continuar crescendo. É um mercado importante", disse. A fabricante tem como meta entregar de 105 a 120 jatos executivos neste ano, em todo o mundo.

(Por Roberta Vilas Boas)

 
O novo jato regional da Embraer, o E-175, em São José dos Campos. A Embraer não se vê atingida pelo rebaixamento da nota soberana do Brasil pela agencia de classificação de risco Standard & Poors, afirmou o presidente da Embraer Aviação Executiva, Marco Tulio Pellegrini. 12/03/2014 REUTERS/Paulo Whitaker