Hidrelétrica Três Irmãos será leiloada nesta 6a; trabalhadores protestam

sexta-feira, 28 de março de 2014 13:22 BRT
 

Por Anna Flávia Rochas

SÃO PAULO (Reuters) - O leilão da hidrelétrica Três Irmãos será realizado nesta sexta-feira, na primeira licitação de concessão entre aquelas que não foram renovadas dentro das regras divulgadas pelo governo em 2012.

Sete empresas mostraram interesse em realizar visita técnica na usina e seriam as potenciais interessadas em disputar a concessão da usina, atualmente operada pela Cesp, geradora de energia controlada pelo governo do Estado de São Paulo.

Essas empresas são AES Tietê, Copel, Furnas, Duke Energy International - Geração Paranapanema, Campos Novos Energia, Enerpeixe e Emae (Empresa Metropolitana de Águas e Energia).

A Campos Novos Energia tem entre seus acionistas a CPFL Geração (48,7 por cento), do grupo CPFL, a Companhia Brasileira de Alumínio (33,1 por cento), Votorantim Metais (11,5 por cento) e CEEE-GT (6,5 por cento), segundo informações da companhia. Já a Enerpeixe é uma empresa constituída por EDP Energias do Brasil (60 por cento) e Furnas (40 por cento).

O Sindicato dos Trabalhadores Energéticos do Estado de São Paulo (Sinergia) faz manifestação do lado de fora da sede da BM&FBovespa, onde ocorrerá o leilão a partir das 10 horas, pedindo que a usina não seja licitada à iniciativa privada.

Trabalhadores temem demissões e aumento da terceirização com a troca do concessionário da usina.

"A alternativa seria uma federalização por meio de Furnas. Furnas é hoje a maior geradora de energia elétrica do país e é uma estatal federal", disse o diretor administrativo e financeiro do Sinergia, José Luiz Zetula, à Reuters, antes do leilão.

Segundo ele, os trabalhadores entregaram manifesto contra o leilão da usina a presidente Dilma Roussef, na terça-feira.   Continuação...

 
Torres de transmissão em uma fazenda de café em Santo Antônio do Jardim. O leilão da hidrelétrica Três Irmãos será realizado nesta sexta-feira, na primeira licitação de concessão entre aquelas que não foram renovadas dentro das regras divulgadas pelo governo em 2012. 06/02/2014 REUTERS/Paulo Whitaker