Dólar cai 0,26% ante real com fluxo cambial positivo

terça-feira, 1 de abril de 2014 17:08 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 1 Abr (Reuters) - O dólar fechou em leve queda ante o real nesta terça-feira, diante do contínuo quadro de entrada de recursos na economia brasileira, mas o movimento foi contido por dúvidas sobre a estratégia de intervenções do Banco Central.

A moeda norte-americana recuou 0,26 por cento, a 2,2635 reais na venda, após chegar a 2,2525 reais na mínima da sessão. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,2 bilhão de dólares.

"O BC não concluiu a rolagem ontem mas, ainda assim, continua atuando pesadamente. Não é o suficiente para que o dólar volte a subir, ainda mais com o fluxo melhor", disse o economista-chefe da corretora BGC Liquidez, Alfredo Barbutti.

O BC deixou de rolar alguns swaps cambiais, equivalentes a venda futura de dólares, que venceram nesta terça-feira, em meio às fortes quedas recentes da moeda norte-americana. Foi a segunda vez que rolou apenas parcialmente um lote de swaps desde que deu início ao programa de atuações diárias, em agosto passado.

Mas isso não impediu que a moeda norte-americana fechasse março com a maior queda em seis meses, pressionada pelas entradas de recursos decorrentes dos elevados juros domésticos, além de captações de empresas. Na segunda-feira, a JBS foi a mais recente empresa a emitir lá fora, lançando 750 milhões de dólares em bônus no exterior.

Esse quadro de ingressos pode ganhar mais força após quarta-feira, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) anuncia sua decisão sobre a taxa básica de juros, com potencial para atrair mais investidores de fora em busca de maiores rendimentos.

De modo geral, a expectativa é de alta de 0,25 ponto percentual na Selic, a 11 por cento ao ano, agora e outra com a mesma intensidade em maio, encerrando o ciclo de aperto.

"Estamos num cenário favorável às entradas, na medida em que o BC continua subindo os juros", disse o sócio-gestor da Queluz Asset Management, Luiz Monteiro.

Especialistas agora discutem até que ponto o BC tolerará a depreciação da divisa dos EUA, com alguns citando como possível piso informal o nível de 2,25 reais. "Apesar de ajudar a aliviar a inflação, a queda do dólar prejudica as exportações", explicou o operador da corretora Advanced Glauber Romano.

Pela manhã, a autoridade monetária deu continuidade às intervenções diárias no mercado de câmbio, vendendo a oferta total de 4 mil swaps, com volume equivalente a 198,3 milhões de dólares. Foram 3,19 mil contratos para 1º de dezembro deste ano e 810 contratos para 2 de março do ano que vem.