Frete para escoar safra recorde sobe menos com agendamento compulsório

quarta-feira, 2 de abril de 2014 14:44 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO, 2 Abr (Reuters) - Os preços de frete entre as principais regiões produtoras de grãos e os portos brasileiros estão subindo menos este ano na comparação com o ano passado, com novas restrições na chegada de caminhões ao porto de Santos forçando um maior escalonamento dos carregamentos.

Em fevereiro, primeiro mês do escoamento da nova safra de soja, os preços médios de frete no país subiram entre 4 e 6 por cento ante janeiro, segundo levantamento da Esalq Log, grupo de pesquisa em logística agroindustrial da Universidade de São Paulo.

Entre janeiro e fevereiro de 2013, os preços de frete de grãos tinham subido 15 por cento.

"A safra está se prolongando um pouco mais, e soma-se a isso o agendamento", disse Neuto Reis, diretor técnico da NTC&Logística, associação que reúne mais de 3 mil transportadoras do país.

"Só mudou o lugar da fila. Ao invés de esperar carregados em Santos, estão fazendo fila na origem, descarregados, vazios."

A desaceleração de preços de fretes verificada no início do escoamento da safra continuou no último mês. Os preços subiram entre 7 e 9 por cento de fevereiro para março deste ano, contra alta entre 11 e 14 por cento no mesmo período do ano passado.

O frete de caminhão, importante componente de custos do agronegócio no país que utiliza o modal rodoviário para escoar boa parte de sua safra, estava cotado a 311,25 reais por tonelada transportada na rota Campo Novo do Parecis (MT) a Santos, nesta quarta-feira, segundo dados da Esalq Log. O valor representa cerca de 30 por cento do preço da soja no porto.

AGENDAMENTO COMPULSÓRIO   Continuação...