Grupos de cimento Lafarge e Holcim negociam fusão de mais de US$50 bi

sexta-feira, 4 de abril de 2014 14:55 BRT
 

PARIS/ZURIQUE, 4 Abr (Reuters) - Os dois maiores produtores de cimento do mundo, a francesa Lafarge e a suíça Holcim, anunciaram nesta sexta-feira que estão discutindo uma fusão que pode marcar a maior operação do tipo na Europa no ano até agora, e que criará uma empresa com valor de mercado de mais de 50 bilhões de dólares.

As discussões são "baseadas em princípios consistentes de uma fusão de iguais", disse a Lafarge em comunicado.

A companhia informou que nenhum acordo foi acertado ainda com a Holcim e que não há garantias de que um negócio poderá ser concluído. Porém, o grupo afirmou que há "forte complementaridade" e "proximidade cultural" entre as duas companhias.

O Groupe Bruxelles Lambert, principal acionista da Lafarge, não comentou o assunto de imediato.

As ações da companhia francesa fecharam o pregão em alta de 8,9 por cento. Já os papéis da Holcim subiram 6,86 por cento na sessão desta sexta-feira.

"É bom para o mercado. As coisas estão fervendo no front de fusões e aquisições, não apenas no setor de telecomunicações, mas também no de construção", disse o gestor de fundos da Clairinvest Ion-Marc Valahu. "Há excesso de capacidade e eles precisam se consolidar."

Uma fusão permitiria à Holcim e Lafarge cortar custos e reduzir excesso de capacidade produtiva, fatores que têm pesado sobre o setor nos últimos anos. Ambas as empresas também tentam reduzir dívida gerada por grandes aquisições nos últimos anos.

BRASIL

A fusão dos dois grupos, se confirmada, criará a terceira maior produtora de cimento do Brasil em um momento em que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica se posiciona para impor medidas punitivas, que incluem multas bilionárias e venda de ativos, contra o que considera como prática de cartel pelo setor no país.   Continuação...