Dólar cai 1,7% e vai a R$2,24, com emprego nos EUA e BC

sexta-feira, 4 de abril de 2014 18:43 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 4 Abr (Reuters) - O dólar despencou nesta sexta-feira, indo abaixo de 2,25 reais, após dados de emprego nos Estados Unidos indicarem que a política monetária no país não deve ser alterada e o Banco Central brasileiro iniciar a rolagem dos swaps cambiais que vencem em maio.

A moeda norte-americana recuou 1,70 por cento, a 2,2437 reais na venda, após chegar a 2,2340 reais na mínima da sessão. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,4 bilhão de dólares.

Na semana, a divisa dos EUA acumulou queda de 0,69 por cento.

"O dólar já havia aberto (o dia) em queda em função do anúncio da rolagem (dos swaps), que alguns já esperavam que não viesse. Quando veio o relatório dos EUA, acelerou a queda bem forte", afirmou o operador de câmbio da Intercam Glauber Romano.

Os Estados Unidos criaram 192 mil vagas de emprego em março, frente a expectativas de 200 mil postos de trabalho. O número mostra que a economia norte-americana continua forte mesmo após a desaceleração provocada pelo clima frio no início do ano.

No entanto, para analistas, os resultados não são suficientes para fazer o Federal Reserve, banco central norte-americano, ampliar o ritmo de redução do programa de estímulos, não afetando ainda mais a liquidez. Também suaviza as preocupações de que a taxa de juros na maior economia do mundo seja elevada antes do esperado.

A queda do dólar também foi puxada pelo anúncio do BC brasileiro de que daria início nesta sessão à rolagem dos swaps cambiais, que servem como venda futura de dólares, que vencem em 2 de maio, no valor equivalente a 8,733 bilhões de dólares.

No fim da manhã, o BC vendeu a oferta total de até 10 mil swaps para rolagem, o que equivale a cerca de 6 por cento do lote que vence no próximo mês. Se mantiver esse ritmo de leilões durante todo o mês, a autoridade monetária conseguirá rolar praticamente todo o volume.   Continuação...