China autoriza importação de milho brasileiro em revés para EUA

terça-feira, 8 de abril de 2014 08:03 BRT
 

PEQUIM, 8 Abr (Reuters) - A China autorizou importações de milho brasileiro com início neste mês, em mais um revés para as vendas dos Estados Unidos para o segundo maior consumidor do grão do mundo, já prejudicadas pela descoberta de um carregamento não aprovado com cepa modificada geneticamente.

O milho do Brasil foi aprovado para importação a partir de 31 de março, disseram as autoridades chinesas de quarentena nesta terça-feira, em um comunicado em seu site. O governo do Brasil, segundo maior exportador de milho do mundo depois dos Estados Unidos, sinalizou o movimento no fim do ano passado, mas a data de início não havia sido revelada naquele momento.

A China importa milho principalmente de Estados Unidos, mas os embarques do país recuaram depois que autoridades controladoras recusaram ​​cerca de 1 milhão de toneladas devido à presença de uma cepa geneticamente alterada que não tinha sido aprovada por Pequim.

A China está ampliando as fontes de fornecimento de grãos de ração animal conforme a produção doméstica falha em manter o ritmo ante o rápido crescimento da demanda por alimentos ricos em proteína.

"A China está acrescentando mais origens de fornecimento para atender a crescente demanda de longo prazo", disse um analista da indústria. "O fornecimento brasileiro pode ser muito competitivo em relação ao dos Estados Unidos."

O Brasil não recebeu a autorização antes porque o processo de aprovação é normalmente lento.

Espera-se que o Brasil exporte 20 milhões de toneladas de milho no ano 2013/14, segundo uma estimativa do Departamento de Agricultura dos EUA.

(Por Niu Shuping e David Stanway)