CGU aprofundará investigação sobre caso envolvendo holandesa SBM e Petrobras

terça-feira, 8 de abril de 2014 13:31 BRT
 

SÃO PAULO, 8 Abr (Reuters) - A Controladoria-Geral da União (CGU) aprofundará as investigações feitas pela Petrobras sobre o suposto pagamento de propina a funcionários da estatal pela empresa holandesa SBM, e os primeiros resultados da apuração devem sair em 60 dias, afirmou nesta terça-feira o ministro-chefe da CGU, Jorge Hage.

A CGU, órgão responsável por assistir a Presidência da República em assuntos relativos à defesa do patrimônio público e ao incremento da transparência da gestão, também pode abrir uma sindicância para apurar a polêmica compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

A Petrobras abriu uma investigação interna para apurar denúncia de que a empresa de plataformas SBM pagava propina a petroleiras para conseguir firmar contratos, mas não encontrou evidências de pagamento de suborno a seus funcionários.

"Recebemos a investigação interna da Petrobras, e é um bom ponto de partida, mas não é mais que isso. Eles tiveram limitações legais e de tempo de 45 dias", disse Hage a jornalistas, após evento no Rio.

"É preciso aprofundar, ampliar em todos os sentidos, inclusive até no âmbito internacional", complementou.

A CGU pretende ir mais a fundo nessa investigação e já está em contato com órgãos da Holanda para avançar na apuração.

"Temos uma semana de investigação... o prazo legal de uma sindicância dessa é de 30 dias prorrogáveis por mais 30 dias, e uma investigação complexa como essa, que envolve cooperação internacional, depende de informações de fora", afirmou o ministro-chefe da CGU.

"Uma novidade nós teremos certamente daqui a 60 dias", adicionou Hage.

O ministro afirmou que a CGU já contactou a Securities and Exchange Commission (SEC, o órgão regulador dos EUA), o Ministério de Justiça dos Estados Unidos e o Ministério Público da Holanda para avançar nas investigações sobre a denúncia da SBM.   Continuação...