Conab destoa do mercado e vê recordes para cana, açúcar e etanol

quinta-feira, 10 de abril de 2014 14:27 BRT
 

Por Roberto Samora e Maria Carolina Marcello

SÃO PAULO/BRASÍLIA, 10 Abr (Reuters) - Apesar da severa seca no Sudeste brasileiro no início do ano, o Brasil ainda conseguirá produzir volumes recordes de cana, açúcar e etanol na safra 2014/15, na avaliação da estatal Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), diferentemente do que apontam consultorias e a indústria.

A Conab estimou nesta quinta-feira uma produção histórica de cana tanto para o país, de 671,7 milhões de toneladas, quanto para o centro-sul, de 613 milhões de toneladas, ante aproximadamente 570 milhões de toneladas apontadas por integrantes do setor privado para a principal região produtora do Brasil.

Essa disparidade ocorre basicamente porque a Conab estimou uma produtividade agrícola maior do que a esperada pelo mercado, que aponta queda mais acentuada no rendimento por hectare em função da falta de chuva em importantes áreas produtoras em janeiro e fevereiro, meses que costumam ser bastante chuvosos.

A produtividade por hectare do centro-sul, que responde por mais de 90 por cento da safra do maior país produtor e exportador global de açúcar, cairá para 75,8 toneladas por hectare, ante 77,8 toneladas na safra passada, disse a Conab. Mas especialistas estimam um recuo maior.

"Acredito que o rendimento agrícola vai ser próximo de 70 toneladas por hectare no centro-sul... O tamanho do problema do rendimento agrícola pode ser avaliado pelo tamanho do problema do baixo nível dos reservatórios hoje", afirmou o consultor Júlio Borges, da Job Economia, lembrando que a cana precisa de chuvas para se desenvolver.

Borges, porém, tem visão semelhante à da Conab sobre o aumento de área plantada para o centro-sul, visto pelo órgão oficial em 4,5 por cento.

A área a ser colhida nessa região deve ficar em 8,08 milhões de hectares na safra 2014/15, disse a Conab.

A estatal atribui o crescimento da produção sucroalcooleira à expansão do plantio e à renovação dos canaviais, incentivada pelo governo com financiamentos a juros mais baixos.   Continuação...

 
Trabalhadores colhem cana em uma fazenda em Maringá. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou nesta quinta-feira a safra de cana do centro-sul do Brasil 2014/15 em 613 milhões de toneladas, crescimento de 1,8 por cento na comparação com a temporada passada. 13/05/2011 REUTERS/Rodolfo Buhrer/La Imagem