Vendas no varejo brasileiro perdem força e sobem 0,2% em fevereiro

terça-feira, 15 de abril de 2014 13:27 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 15 Abr (Reuters) - As vendas no varejo brasileiro subiram pelo segundo mês seguido em fevereiro, mas perderam força e avançaram 0,2 por cento sobre janeiro, com analistas prevendo que os juros maiores e a alta dos preços continuem a limitar o comércio.

Na comparação com fevereiro do ano passado, as vendas subiram 8,5 por cento em fevereiro, divulgou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em janeiro, as vendas haviam avançado 0,4 por cento sobre o mês anterior.

"O índice de vendas do comércio vem perto de zero e oscilando entre negativo e positivo nos últimos meses. É reflexo sim de um fôlego menos intenso do comércio, diferentemente de anos anteriores. Mas não há nenhum sinal de alerta", afirmou a economista do IBGE Aleciana Gusmão.

O resultado mensal ficou em linha com a expectativa em pesquisa da Reuters, enquanto a alta anual veio um pouco acima da mediana, que apontava para aumento de 8,10 por cento.

Segundo o IBGE, apenas três das oito atividades pesquisadas no varejo restrito mostraram alta em fevereiro na comparação mensal, com destaque para Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (+9,0 por cento) e Combustíveis e lubrificantes (+1,6 por cento).

Por outro lado, outras três atividades apresentaram queda, entre elas Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,3 por cento).

As duas atividades restantes tiveram estabilidade nas vendas.

Já em relação a fevereiro de 2013, as vendas de Hipermercados e supermercados e mostraram crescimento de 5,1 por cento. "A inflação menor da alimentação dentro de casa explica parte desse resultado. Há também uma aumento da renda", explicou Aleciana, do IBGE.   Continuação...

 
Pessoas fazem compras no Mercado Central em Belo Horizonte. As vendas no comércio varejista brasileiro registraram leve alta de 0,2 por cento em fevereiro na comparação com janeiro, segundo mês seguido de ganho, porém mostrando perda de força com moderação no consumo. 09/04/2014 REUTERS/Washington Alves