Plano chinês da autossuficiência em minério de ferro pode fracassar

quarta-feira, 16 de abril de 2014 11:13 BRT
 

Por Ruby Lian e David Stanway

XANGAI, 16 Abr (Reuters) - O plano da China para se tornar autossuficiente em minério de ferro pode fracassar antes mesmo de começar, por causa dos altos custos da produção interna e da má qualidade do seu minério. No fim das contas, os fornecedores estrangeiros podem acabar enviando mais matéria-prima para o seu maior mercado.

Há duas décadas a China tenta reduzir sua dependência em relação ao minério fornecido pelas três principais empresas do setor, a brasileira Vale e as anglo-australianas Rio Tinto e BHP Billiton, mas sem muito sucesso, porque o custo para a produção de minério de ferro dentro da China é maior do que o preço para importação.

As mineradoras globais, por sua vez, estão ampliando sua produção para ocupar uma maior parcela do mercado chinês. Na quarta-feira, a BHP elevou para 217 milhões de toneladas a sua meta de produção para o ano, ao passo que a Rio Tinto está perto de extrair 300 milhões de toneladas por ano, e a Vale prevê mais de 360 milhões.

A China, que compra mais de dois terços do minério de ferro do mundo, está desenvolvendo um plano para criar seis a oito grandes mineradoras até 2025, cada uma com capacidade para mais de 30 milhões de toneladas, segundo a agência estatal de notícias Xinhua. Uma proposta para isso deverá ser submetida ainda neste ano ao Conselho do Estado.

Mas a produção total dessas companhias atenderia a apenas um terço da demanda chinesa, tornando aparentemente impossível atingir a meta de reduzir a menos da metade as importações do país em um prazo de dez anos. Além disso, a qualidade do minério chinês vem caindo, e por isso é possível que as grandes mineradoras estrangeiras precisem exportar cada vez mais para a China.

Embora a produção chinesa de minério cresça ano após ano, essa matéria-prima é de baixa qualidade, o que obriga os produtores a cavarem mais fundo, elevando os custos.

"A única forma de as novas mineradoras integradas competirem contra as grandes mineradoras é se elas conseguirem cortar custos, mas não acredito que isso possa acontecer", disse um alto funcionário de uma mineradora chinesa de porte médio, com produção anual de 2 a 3 milhões de toneladas. Ele pediu anonimato.

O minério chinês teve um teor médio de ferro de 21,5 por cento no ano passado, contra 31,2 por cento dez anos antes, segundo Pan Guocheng, executivo-chefe da mineradora privada China Hanking Holdings Ltd.   Continuação...