IPCA-15 acelera a 0,78% em abril, abaixo do esperado

quinta-feira, 17 de abril de 2014 12:27 BRT
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO, 17 Abr (Reuters) - Ainda sob o peso dos preços de alimentos, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) acelerou a alta a 0,78 por cento em abril, mas veio abaixo do esperado pelos especialistas, o que pode tirar pressão sobre o Banco Central neste momento.

O indicador, prévia da inflação oficial do país, atingiu 6,19 por cento em 12 meses até abril, ante 5,90 por cento em março, informou ainda o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

A meta de inflação do governo é de 4,5 por cento pelo IPCA, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou menos.

Na comparação mensal, a taxa superou o avanço de 0,73 por cento visto em março e foi a mais alta desde janeiro de 2013 (0,88 por cento). Entretanto, os resultados ficaram abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters, cujas medianas apontavam alta de 0,85 por cento sobre março e de 6,26 por cento em 12 meses.

De acordo com o IBGE, o principal impacto no IPCA-15 de abril foi provocado pelo grupo Alimentação e Bebidas, com 0,45 ponto percentual, após acelerar a alta a 1,84 por cento. Em março, o avanço havia sido de 1,11 por cento.

Com isso, o grupo, que ainda reflete os efeitos da falta de chuva recentemente em várias regiões do país, respondeu sozinho por 58 por cento do IPCA-15.

Os principais impactos individuais sobre o índice do mês concentraram-se em alimentos, com destaque para os preços das carnes, com 0,07 ponto percentual, após alta de 2,83 por cento nos preços.

"Alimentação continua preocupando bastante, principalmente no domicílio. Esperávamos algum sinal de desaceleração por melhora do clima, mas isso não se confirmou", avaliou a economista da Tendências Consultoria Alessandra Ribeiro, que deve elevar sua projeção de alta de 0,70 por cento para o IPCA fechado de abril.   Continuação...