Governo recebe R$2,5 bi em dividendos recordes de estatais para março, mostra Siafi

terça-feira, 22 de abril de 2014 18:02 BRT
 

Por Tiago Pariz

SÃO PAULO, 22 Abr (Reuters) - O governo federal recebeu 2,541 bilhões de reais em dividendos de empresas estatais em março, segundo dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), o maior valor já visto para esses meses e que deve ajudar no resultado do superávit primário do período.

Um ano antes, esses desembolsos via dividendos haviam somado 767,3 milhões de reais, 70 por cento a menos do que o valor visto no mês passado. Em 2013 todo, as receitas angariadas de estatais somaram 17,142 bilhões de reais, segundo dados do Tesouro Nacional.

Os dividendos das estatais têm ajudado os resultados fiscais do país, num momento de aumento do gasto público e fragilidade das receitas, afetadas tanto pela desoneração de tributos quanto pela economia em desaceleração.

Para tentar reconquistar a confiança dos agentes econômicos, abalada também pelas manobras contábeis usadas nos anos anteriores, o governo anunciou nova meta ajustada de primário de 2014 para o setor público consolidado --governo central (governo federal, Previdência e Banco Central): 99 bilhões de reais, equivalente a 1,9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

Para 2015, anunciou que perseguirá a meta cheia de 143,3 bilhões de reais, ou 2,5 por cento do PIB, considerada "mais realista" pelo governo e inferior ao objetivo cheio definido nos últimos anos de cerca de 3 por cento do PIB.

"O governo conteve um pouco o rumo na política fiscal, fez um freio de arrumação, mas ainda há um cenário negativo na política fiscal", afirmou o economista da Tendências Consultoria Felipe Salto.

Em fevereiro, dividendos e governos regionais ajudaram o setor público consolidado a registrar superávit primário, economia feita para pagamento de juros da dívida, de 2,130 bilhões de reais, ou 1,76 por cento do PIB em 12 meses.

O BNDES tem sido o principal pagador de dividendos à União nos últimos anos, respondendo por mais de 40 por cento pelo total. Em 2012 foram 12,938 bilhões de reais e, em 2013, 6,999 bilhões de reais, segundo Tesouro Nacional.   Continuação...