Cobertura de rede celular em estádios deverá ficar incompleta

quarta-feira, 23 de abril de 2014 13:12 BRT
 

Por Luciana Bruno e Brad Haynes

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 23 Abr (Reuters) - Operadoras de telecomunicações estão enfrentando dificuldades para fornecer cobertura adequada de telefonia móvel sobre importantes locais de realização da Copa do Mundo há menos de dois meses da realização do torneio.

O problema já foi sentido durante a Copa das Confederações em 2013, um ensaio para a Copa do Mundo deste ano, com 73 mil torcedores no Maracanã mal podendo mandar uma mensagem de texto para comemorar a vitória do Brasil contra a Espanha por 3 a 0.

"Onde não tivémos muito tempo, provavelmente não vamos conseguir ter cobertura completa para os estádios", disse Eduardo Levy, diretor-executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil).

Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa, afirmou recentemente que estava profundamente preocupado de que, na maioria dos casos, as comunicações para os torcedores e para a imprensa, não serão totalmente testadas antes do início da Copa, em 12 de junho, em São Paulo.

"Não queremos que o Brasil seja lembrado como tendo realizado a pior Copa do Mundo de todos os tempos porque os jornalistas não poderão divulgar suas histórias para o restante do mundo", disse Valcke.

Após os problemas da Copa das Confederações, a indústria de telefonia pediu 120 dias para instalar e calibrar as redes em seis novos estádios entregues este ano. O setor recebeu menos de 70 dias em Curitiba e São Paulo.

Equipes de 100 técnicos estão agora trabalhando dia e noite para ajustar a cobertura nestes estádios, mas provavelmente haverá "pontos cegos" nos arredores das arenas, estacionamentos e estruturas temporárias, disse Levy.

"Nos aeroportos, nossa intenção foi fazer o mesmo projeto desenhado para os estádios", disse ele. "Mas muitos aeroportos não estarão prontos a tempo. Faremos cobertura externa."   Continuação...