April 23, 2014 / 9:54 PM / 3 years ago

Apple amplia programa de recompra de ações em US$30 bilhões

3 Min, DE LEITURA

SAN FRANCISCO, Estados Unidos, 23 Abr (Reuters) - A Apple aprovou mais 30 bilhões de dólares em recompras de ações até o final de 2015 e autorizou um raro desdobramento de ações na proporção de sete para uma, respondendo a cobranças de acionistas para compartilhar mais dinheiro de seu caixa.

A empresa também aprovou um aumento de cerca de 8 por cento no seu dividendo trimestral, para 3,29 dólares por ação.

O investidor ativista Carl Icahn, que havia pedido para a fabricante do iPhone ampliar seu programa de recompra, manifestou sua aprovação à decisão nesta quarta-feira.

As ações da empresa, que permanecem cotadas entre 500 e 550 dólares desde o início do ano, subiram 7 por cento no after-market, para 561,51 dólares.

Nesta quarta-feira, a Apple divulgou vendas de 43,7 milhões de iPhones no trimestre encerrado em março, superando com folga a estimativa de Wall Street de cerca de 38 milhões de aparelhos.

Tal resultado guiou a alta de 4,6 por cento na receita trimestral, para 45,6 bilhões de dólares, superando as projeções de Wall Street de cerca de 43,5 bilhões de dólares.

Mas a capacidade da Apple de voltar a produzir um novo produto revolucionário permanece sendo uma questão central para investidores e executivos do Vale do Silício, num momento em que o mercado de smartphones amadurece e rivais como a Samsung Electronics e o Google abocanham parte de sua participação de mercado.

Muitos esperam que o próximo iPhone, que fontes disseram que vai contar com uma tela maior e nova tecnologia de display, irá proporcionar um oportuno impulso para o lucro da companhia a partir de setembro, quando a Apple normalmente apresenta a última versão de seu principal produto.

Persiste no mercado a especulação de que a empresa vai assumir a liderança em dispositivos de uso junto ao corpo como um relógio inteligente ou outro aparelho, já que presidente-executivo Tim Cook falou sobre "novas categorias de produtos" para 2014.

Por ora, o ímpeto da empresa na China e em mercados emergentes tem sido tema de muita discussão nos círculos de investidores.

Nesta quarta-feira, o vice-presidente financeiro, Luca Maestri, disse à Reuters que o salto nas vendas de iPhones foi "muito amplo", mas destacou o desempenho na Grande China e no Japão, onde o negócio teve um impulso com a recente inclusão da NTT Docomo e da China Mobile como parceiras operadoras.

A receita total na Grande China, que inclui Hong Kong e Taiwan, subiu 13 por cento, para 9,29 bilhões de dólares no trimestre. Já as vendas japonesas subiram 26 por cento, para 3,96 bilhões de dólares.

Por Edwin Chan

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below