Alta da Apple impulsiona Nasdaq, mas crise na Ucrânia pesa sob Wall Street

quinta-feira, 24 de abril de 2014 18:35 BRT
 

Por Chuck Mikolajczak

NOVA YORK, 24 Abr (Reuters) - O índice Nasdaq subiu nesta quinta-feira, em uma sessão marcada por volatilidade, puxado por um rali da ação da Apple, um dia após a fabricante do iPad divulgar resultados fortes, enquanto tensões envolvendo a Ucrânia limitaram os ganhos do mercado em geral.

O índice Dow Jones terminou estável, a 16.501 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,17 por cento, para 1.878 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 0,52 por cento, para 4.148 pontos.

O papel da Apple, maior empresa em valor do mercado dos Estados Unidos, subiu 8,2 por cento, a 567,77 dólares, um dia após divulgar receitas bem acima das expectativas do mercado. Foi a maior alta diária da ação da Apple desde agosto do ano passado. A companhia também aprovou mais um plano de recompra de ações de 30 bilhões de dólares, elevou seu dividendo e autorizou o desdobramento de ações na proporção de sete para uma.

O subíndice de tecnologia do S&P subiu 1,1 por cento, na melhor performance setorial do dia.

Os três principais índices de ações dos EUA abriram em forte alta, com o Nasdaq subindo mais de 1 por cento antes de virar para o terreno negativo na primeira meia hora de negociação. O mercado depois recuperou-se das mínimas do dia, com a alta concentrada no Nasdaq, mas fechou bem abaixo das máximas da sessão.

A volatilidade foi ocasionada pelo anúncio do ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, de que a Rússia iniciou exercícios militares perto da fronteira com a Ucrânia. Forças ucranianas mataram até cinco rebeldes pró-Rússia nesta quinta-feira ao se aproximarem de um refúgio militar separatista no leste do país.

"O mercado está com viés de alta, por todas as boas notícias que ouvimos sobre ações recentemente", afirmou a analista-sênior da Fort Pitt Capital Group Kim Forrest. "No entanto, há tensões no mundo que não desaparecem e o mercado tem de lidar com isso."