Lucro da Colgate-Palmolive cai 16% com aperto de bolívar venezuelano

sexta-feira, 25 de abril de 2014 12:30 BRT
 

25 Abr (Reuters) - A Colgate-Palmolive divulgou uma queda de 16 por cento no lucro trimestral, impactada por um encargo não recorrente ligado à queda no valor do bolívar venezuelano.

A desvalorização da moeda venezuelana prejudicou muitas companhias incluindo a Ford e a Procter & Gamble, pois reduz o valor das vendas no país latino-americano.

A Colgate, que controla quase 45 por cento do mercado mundial de pastas de dente, contabilizou um encargo pós-imposto de 174 milhões de dólares devido a mudanças no câmbio da Venezuela, abaixo da estimativa anunciada em fevereiro de entre 180 milhões e 200 milhões de dólares.

A companhia disse esperar que tais encargos perdurem, tendo um impacto de cerca de 0,03 dólar por ação por trimestre durante 2014. A América Latina é o maior mercado da companhia em vendas.

O lucro líquido da Colgate caiu para 388 milhões de dólares, ou 0,42 dólar por ação, no trimestre encerrado em 31 de março, ante 460 milhões de dólares, ou 0,48 dólar por papel, no ano anterior.

Excluindo itens, a companhia teve lucro de 0,68 dólar por ação, em linha com a estimativa média de analistas.

As vendas subiram levemente para 4,33 bilhões de dólares, pouco acima da estimativa média de 4,32 bilhões de dólares entre analistas, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

As vendas orgânicas, que retiram o impacto de aquisições, desinvestimentos e câmbio, cresceram 6,5 por cento, auxiliadas pelas fortes vendas em mercados emergentes. As vendas orgânicas nestes mercados subiram 10 por cento no trimestre.

(Por Siddharth Cavale e Phil Wahba)