Ações europeias recuam por aprofundamento da crise na Ucrânia

sexta-feira, 25 de abril de 2014 14:23 BRT
 

Por Alistair Smout e Blaise Robinson

LONDRES/PARIS, 25 Abr (Reuters) - As ações alemãs lideraram a queda nos mercados europeus nesta sexta-feira, com novos sinais de violência na Ucrânia afetando o sentimento, embora as ações tenham recebido sustentação pelo movimento de aquisição de empresas.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do continente e atingiu máxima em quase seis anos neste mês, fechou em queda de 0,78 por cento, a 1.332 pontos.

O índice de blue chips da zona do euro STOXX 50 recuou 1,3 por cento, a 3.147 pontos.

Forças ucranianas mataram pelo menos cinco rebeldes pró-Moscou e a Rússia iniciou manobras militares perto da fronteira. Em resposta, os Estados Unidos disseram nesta sexta-feira que pressionarão os aliados europeus a impor mais sanções se a Rússia ampliar a ação na Ucrânia.

O primeiro-ministro ucraniano, Arseny Yatseniuk, acusou a Rússia de querer começar a Terceira Guerra Mundial, ocupando Ucrânia "militar e politicamente".

"No momento é principalmente barulho, mas existe o risco de que a situação ucraniana possa deteriorar. Vimos como o DAX tem sido vulnerável à retórica dura, por exemplo", disse o sócio da corretora TJM Partners Mike Harris.

O índice alemão DAX, considerado como o mercado europeu mais exposto à crise na Ucrânia, fechou em queda de 1,54 por cento, a 9.401 pontos.

O DAX, que teve performance melhor que os demais índices acionários europeus por anos, acumula perda de 1,6 por cento neste ano, atrás do francês CAC 40, com alta de 3,4 por cento; do italiano FTSE MIB, com ganho de 13 por cento; e do espanhol IBEX, com avanço de 3,9 por cento.   Continuação...