CCEE fecha empréstimo com 10 bancos e afirma que não há risco para elétricas

sexta-feira, 25 de abril de 2014 18:05 BRT
 

Por Anna Flávia Rochas

SÃO PAULO (Reuters) - A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) assinou nesta sexta-feira com um sindicato de 10 bancos contrato de empréstimo para ajudar as distribuidoras de energia, que estão tendo fortes gastos pela compra de energia mais cara no curto prazo.

Os bancos públicos federais Banco do Brasil e Caixa arcarão com a maior fatia no financiamento, de 2,45 bilhões de reais cada. A operação tem custo de CDI mais 1,9 por cento ao ano, com quitação até outubro de 2017.

Os consumidores pagarão o empréstimo a partir dos reajustes tarifários no ano que vem, por meio de um encargo a ser acumulado na Conta no Ambiente de Contratação Regulada (Conta-ACR) a partir de fevereiro do próximo ano. Já o pagamento do empréstimo em parcelas mensais aos bancos terá início em novembro de 2015.

A garantia do empréstimo, por sua vez, será dada por recursos recolhidos por meio de encargo na conta de luz na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

"Os associados da CCEE não serão responsáveis pela falta de pagamento", afirmou o presidente do Conselho da CCEE, Luiz Eduardo Barata. "Não tem risco... A operação foi muito bem estruturada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica)", disse ele a jornalistas.

Representantes de bancos presentes na cerimônia de assinatura do contrato não quiseram comentar.

Além de BB e Caixa, os bancos mais relevantes na operação incluem Bradesco e Itaú Unibanco, com 2 bilhões de reais cada, e Santander Brasil, com 1 bilhão de reais.

Participam ainda Citibank (500 milhões de reais), BTG Pactual (400 milhões de reais), Bank of America Merrill Lynch (200 milhões de reais), JPMorgan (100 milhões de reais) e Credit Suisse (100 milhões de reais).   Continuação...