Itaú Unibanco lucra R$4,42 bi no 1º tri; inadimplência volta a cair

terça-feira, 29 de abril de 2014 08:53 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O Itaú Unibanco divulgou lucro do primeiro trimestre em linha com as previsões, pautado por nova queda dos calotes, crescimento moderado do crédito, recuo de margens e forte avanço das receitas com serviços.

O maior banco privado da América Latina anunciou nessa terça-feira lucro líquido de 4,42 bilhões de reais para os três primeiros meses deste ano, crescimento de 27,3 por cento ante igual período de 2013.

Excluindo eventos extraordinários, o lucro do Itaú Unibanco foi de 4,53 bilhões de reais, aumento anual de 29 por cento. A previsão de sete analistas consultados pela Reuters era de lucro de 4,54 bilhões de reais.

A instituição financeira fechou março com uma carteira de crédito, incluindo avais, fianças e títulos privados, de 508,25 bilhões de reais, um avanço de 11,4 por cento em 12 meses, com destaque para as linhas de consignado e imobiliário.

O índice de inadimplência, medido pelo saldo de operações vencidas com mais de 90 dias, foi de 3,5 por cento no fim do período, ante índice de 3,7 por cento em dezembro e de 4,5 por cento um ano antes. Foi a sétima queda seguida, para o menor nível desde o final de 2008.

Já as despesas do Itaú com provisões para perdas com calotes somaram 4,25 bilhões de reais no trimestre. Embora tenham caído 13,9 por cento na comparação anual, subiram 1,4 por cento sobre dezembro.

O Itaú Unibanco teve receita com tarifas e serviços de 6,057 bilhões de reais de janeiro a março, alta de 18,3 por cento em 12 meses.

O retorno recorrente do Itaú Unibanco sobre o patrimônio (ROE) foi de 22,6 por cento no período, ante 19,1 por cento um ano antes.

Um ponto mais fraco do balanço foi a margem líquida obtida com clientes (ajustado ao risco), que atingiu 6,6 por cento no trimestre, queda de 0,3 ponto ante o quarto trimestre de 2013, embora tenha crescido 0,7 por cento na comparação anual.