Dólar fecha 3º mês seguido de queda ante o real

quarta-feira, 30 de abril de 2014 17:12 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 30 Abr (Reuters) - O dólar fechou esta quarta-feira com leve baixa ante o real e arrematou o terceiro mês consecutivo de quedas, mas especialistas acreditam que a divisa norte-americana não deve ampliar muito o movimento daqui para frente, diante da ação mais comedida do Banco Central num cenário de fluxo positivo.

A moeda norte-americana teve leve baixa de 0,14 por cento, a 2,2300 reais na venda no dia e acumulou queda de 1,74 por cento em abril. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,6 bilhão de dólares.

O dólar tem oscilado entre os patamares de 2,20 e 2,25 reais desde meados de abril. Alguns no mercado acreditam que o BC está satisfeito com este patamar, pois não é inflacionário e ao mesmo tempo não prejudica as exportações.

"Há muito fluxo estrangeiro para cá e isso tende a continuar no curto prazo, mas o BC está tirando o pé do acelerador. A tendência é que o mercado continue nessa toada", afirmou o estrategista da Fator Corretora Paulo Gala.

Pelo segundo mês consecutivo, o BC deixou vencer cerca de 25 por cento dos contratos de swaps. Os próximos papeis que vão vencer, no dia 2 de junho, equivalem a 9,653 bilhões de dólares, segundo dados do próprio BC.

Analistas acreditam que a autoridade monetária deve continuar fazendo menos rolagens, aproveitando a janela aberta pelo quadro de fluxo cambial positivo dos últimos meses. Entre o início do ano e 25 de abril, o superávit era de 3,374 bilhões de dólares, ajudando a moeda norte-americana a acumular queda de 7,56 por cento nos últimos três meses. No ano, ela já perdeu 5,41 por cento.

Segundo analistas consultados pela Reuters, esse contexto também permitirá que o BC estenda seu programa de intervenções diárias no câmbio além do segundo semestre com menor intensidade.

Nesta sessão, o BC deu continuidade às intervenções diárias, vendendo a oferta total de até 4 mil swaps, com volume equivalente a 198,5 milhões de dólares. Foram 500 contratos para 1º de dezembro deste ano e 3,5 mil para 2 de março de 2015.   Continuação...