Venezuela reduzirá exportações de petróleo para clientes regulares em maio

quinta-feira, 1 de maio de 2014 20:31 BRT
 

HOUSTON, Estados Unidos, 1 Mai (Reuters) - A estatal petrolífera venezuelana PDVSA vai reduzir o fornecimento de petróleo dos terminais do leste do país em maio para os seus clientes regulares, mas aumentará em 50 por cento a quantidade de petróleo bruto e de derivados vendidos por meio de leilões, de acordo com cópia de seu plano de exportações visto pela Reuters.

A empresa planeja exportar 1,33 milhão de barris por dia (bpd) de petróleo para seus compradores típicos, um corte de quase 20 por cento em relação às vendas de abril, de cerca de 1,6 milhão bpd, para esses clientes que incluem empresas como as norte-americanas Phillips 66, Valero Energy e Chevron, a estatal CUPET de Cuba, a Petrochina, a Reliance e a Essar, da Índia, e a sua rede de refino Citgo Petroleum.

As exportações de gás natural liquefeito, um hidrocarboneto leve, e de nafta por meio de um contrato de fornecimento com a empresa petroquímica brasileira Braskem seriam de 18,4 mil bpd em maio, aproximadamente o mesmo volume vendido no mês anterior.

Mas a PDVSA espera entregar 50 por cento mais petróleo e combustíveis para novos compradores no mercado aberto por meio de leilões. A empresa planeja vender cerca de 111 mil bpd de diesel com teor ultrabaixo de enxofre (ULSD), querosene de aviação, óleo combustível e uma mistura de óleos brutos do leste da Venezuela, enquanto em abril o total foi de 71,9 bpd, acrescenta o documento.

A PDVSA retomou as exportações de ULSD em janeiro, após anos dedicando toda a produção deste combustível para seu crescente mercado interno. O maior uso de gás natural nas usinas termoelétricas e a queda da demanda doméstica permitiram à empresa ter um excedente exportável de diesel nos últimos meses.

(Reportagem de Marianna Parraga)