Criação de vagas nos EUA salta em abril e taxa de desemprego recua

sexta-feira, 2 de maio de 2014 15:25 BRT
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON, 2 Mai (Reuters) - A criação de vagas de emprego nos Estados Unidos aumentou no ritmo mais rápido em mais de dois anos em abril, sugerindo forte recuperação da atividade econômica no começo do segundo trimestre.

Foram criadas 288 mil vagas fora do setor agrícola em abril, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira. Esse foi o maior avanço desde janeiro de 2012 e superou as expectativas de Wall Street de um acréscimo de apenas 210 mil vagas.

Os dados de março e fevereiro foram revisados para mostrar 36 mil empregos a mais do que relatado anteriormente.

Embora a taxa de desempregou tenha caído 0,4 ponto percentual, para a mínima de cinco anos e meio de 6,3 por cento, o Departamento do Trabalho atribuiu isso a uma queda no número de desempregados que voltaram ao mercado de trabalho, além de uma queda no número de pessoas novas que entraram na força de trabalho.

A última vez que a taxa de desemprego chegou a esse nível foi em setembro de 2008.

"A economia realmente tem fundamentos básicos fortes sustentando seu crescimento. Obstáculos temporários como o clima ruim podem certamente ser administrados", disse Russell Price, economista sênior da Ameriprise Financial.

A economia estagnou no primeiro trimestre, pressionada por um inverno atipicamente frio e severo. Um ritmo fraco de acúmulo de estoques por empresas também minou o crescimento.

O relatório de empregos junta-se a outros dados positivos, como os gastos dos consumidores e a produção industrial, sugerindo que o ritmo de 0,1 por cento de crescimento anual visto no primeiro trimestre foi uma aberração e não reflete os fundamentos da economia.   Continuação...

 
Foto tirada em março mostra uma placa de procura por funcionários em uma loja comercial, no bairro Brooklyn, em Nova York. A criação de vagas de emprego nos EUA saltou em abril, com a criação de 288 mil vagas de trabalho, e a taxa de desemprego apresentou queda no mês. 07/03/2014 REUTERS/Keith Bedford