Redução na geração hidrelétrica é risco para geradoras em 2014

sexta-feira, 2 de maio de 2014 18:21 BRT
 

SÃO PAULO, 2 Mai (Reuters) - O déficit na geração hidrelétrica do Brasil, diante do baixo nível dos reservatórios das usinas, pode ser um dos principais riscos para geradoras de energia elétrica em 2014, que podem ter gastos com energia no curto prazo para honrar contratos.

A baixa pluviosidade no período úmido evitou que os reservatórios das hidrelétricas se recuperassem para um nível considerado confortável para o abastecimento pelo restante do ano. O nível das represas, que já está baixo, tende a cair ainda mais e a entrega dessa energia para cumprir com contratos pode ficar prejudicada, em alguns casos.

O déficit na geração de hidreletricidade foi de 3,7 por cento em janeiro, 1,7 por cento e fevereiro e 5,2 por cento em março, segundo dados do Morgan Stanley.

Analistas do banco consideram que a situação de déficit deve persistir, o que é negativo principalmente para geradoras com portfólio totalmente contratado, sem energia disponível para cobrir déficits. Essas poderão ter que recorrer à energia de curto prazo, a preços muito altos diante da geração termelétrica mais cara acionada, para honrar contratos.

"No nosso caso base, estamos incorporando um déficit médio de 5 por cento para 2014", escreveram analistas liderados por Miguel Rodrigues. O déficit na hidroeletricidade é a diferença entre a energia assegurada alocada para um mês específico e a geração real de energia.

Segundo os analistas, algumas das empresas que poderão ser mais prejudicadas são AES Tietê e Energias do Brasil, que estão altamente contratadas.

Grande parte das hidrelétricas fazem parte do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE), que foi concebido para compartilhar os riscos financeiros associados à comercialização de energia pelas usinas hidráulicas acionadas por ordem do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

O MRE realoca a energia entre os integrantes, transferindo o excedente daqueles que geraram além de suas garantias físicas para aqueles que geraram abaixo. Mas em momento de déficit na geração de hidreletricidade no balanço total, as hidrelétricas rateiam a despesa pela falta de energia.

A geração menor que a garantia física do sistema é um risco que as geradoras correm, principalmente em momento de poucas chuvas em que o nível dos reservatórios é poupado pelo ONS.   Continuação...