Dados oceânicos indicam que haverá forte El Niño

segunda-feira, 5 de maio de 2014 10:01 BRT
 

SYDNEY, 5 Mai (Reuters) - Um aumento nas temperaturas do Oceano Pacífico e o rápido movimento de águas quentes na direção do leste aumentaram a preocupação de que neste ano o fenômeno El Niño possa ser um dos mais fortes em muitas décadas, disse um cientista australiano especializado em clima.

O fenômeno climático El Niño --o aquecimento das temperaturas da superfície do mar no Pacífico-- afeta os padrões do vento e pode desencadear tanto inundações como secas em diferentes partes do globo, reduzindo o suprimento de alimentos.

A maioria dos modelos de previsão do tempo indica que o El Niño pode se desenvolver por volta de meados do ano, mas ainda é muito cedo para avaliar sua força, disse a Organização Meteorológica Mundial, da ONU, em 15 de abril.

De acordo com o cientista Wenju Cai, especialista em clima da Organização de Pesquisa Industrial e Científica da Commonwealth, na Austrália, a elevação das temperaturas no oceano Pacífico acima das vistas nos El Niño de anos anteriores e o rápido movimento da água quente em direção ao leste fizeram crescer o medo de um fenômeno significativo este ano.

"Acho que este evento tem muitas das características de um El Niño forte", disse Cai.

"Um forte El Niño aparece cedo e nós vimos esse evento ao longo dos últimos dois meses, o que é incomum; o vento que causou o aquecimento é bem amplo e há o que chamamos de efeitos pré-condicionados, nos quais é preciso haver uma grande quantidade de calor no sistema para que haja um grande fenômeno El Niño."

Ele baseou suas conclusões em informações divulgadas pela Administração Nacional Atmosférica e Oceânica dos EUA.

Um forte El Niño iria também elevar a preocupação de que muitas commodities essenciais na Ásia e Austrália sejam afetadas.