Petrobras diz que energia no leilão A-0 tem preço maior que expectativa futura

segunda-feira, 5 de maio de 2014 19:47 BRT
 

SÃO PAULO, 5 Mai (Reuters) - A Petrobras disse nesta segunda-feira que o valor da energia que vendeu no leilão A-0, realizado no último dia 30, é superior à expectativa de preço futuro da energia, rebatendo críticas que apontavam que a estatal teria prejuízo com o negócio.

Segundo a companhia, a expectativa de preços futuros de energia no mercado livre para o período de contratação do leilão é de, em média, 233,50 reais por megawatt-hora (MWh), 10 por cento inferior ao preço da energia vendido pela Petrobras no certame.

"A Petrobras discorda de algumas análises que, sem embasamento técnico, comparam os preços praticados no leilão com o preço do mercado de curto prazo que, hoje, é de 822,23 reais por MWh, o qual infere que a Petrobras teria um prejuízo mensal de 230 milhões de reais e anual de 2,8 bilhões de reais", informou a companhia em nota à imprensa.

A empresa disse que as estimativas "tecnicamente incorretas" partem da premissa inadequada de que o preço da energia ficará no seu patamar mais elevado nos próximos cinco anos. Para isso, segundo a empresa, teria que chover um volume abaixo da média histórica (MLT) dos últimos 50 anos seguidamente todas as semanas do ano, por cinco anos.

"O histórico não reflete essa premissa, pois nos últimos 10 anos o valor do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) ficou, em média, em 121,40 reais por MWh, sendo que o maior valor registrado nesse período foi em 2013 (262,84 reais por MWh) e o menor em 2005 (28,88 reais por MWh)."

A empresa acrescentou que, nos momentos em que as usinas termelétricas estiverem despachadas, como agora, elas recebem o Custo Variável Unitário (CVU) de geração, atualmente de 342,15 reais por MWh, além da Receita Fixa, que, nesse leilão, ficou próxima a 133 reais por MWh. Quando as usinas não estiverem acionadas, receberão apenas a Receita Fixa.

A Petrobras vendeu energia de quatro termelétricas no leilão, no total de cerca de 574 MW médios de energia.

(Por Anna Flávia Rochas)