Em luta contra Pfizer, AstraZeneca promete eventual salto nas vendas

terça-feira, 6 de maio de 2014 10:35 BRT
 

LONDRES, 6 Mai (Reuters) - A AstraZeneca revelou nesta terça-feira sua defesa contra a abordagem de aquisição da companhia por 106 bilhões de dólares pela Pfizer ao prever que suas receitas irão subir 75 por cento na próxima década, embora apenas depois de uma queda no curto prazo.

Com a expectativa de que promissores novos medicamentos irão elevar as vendas anuais para mais de 45 bilhões de dólares até 2023, ante 25,7 bilhões de dólares em 2013, a venda para o grupo norte-americano neste momento iria privar investidores de grandes ganhos, argumentou a companhia.

A AstraZeneca rejeitou três propostas da Pfizer, que quer criar a maior empresa farmacêutica do mundo - e cortar seus encargos fiscais - através da compra do grupo. A companhia disse na sexta-feira que a mais recente oferta da empresa norte-americana, de 50 libras por ação, subvalorizava a empresa "substancialmente".

Enquanto enxerga queda na receita durante os próximos três anos conforme remédios mais antigos perdem a proteção de patentes, a AstraZeneca prevê crescimento "forte e consistente" de 2017 a 2023, impulsionado por novas drogas para câncer, diabetes, doenças cardíacas e problemas pulmonares.

A expectativa é que o lucro principal por ação, que exclui certos itens, exceda o crescimento da receita durante esse período, disse a companhia.

Entre os produtos individuais, a AstraZeneca disse que o remédio para coração Brilinta tem o potencial de gerar vendas anuais de cerca de 3,5 bilhões de dólares até 2023, com medicamentos para diabetes e problemas respiratórios acrescentando outros 8 bilhões de dólares cada.

(Por Ben Hirschler)