Operações ferroviárias mantêm pressão sobre ALL no 1º trimestre

terça-feira, 6 de maio de 2014 10:55 BRT
 

Por Roberta Vilas Boas

SÃO PAULO (Reuters) - O segmento de operações ferroviárias manteve a pressão sobre os resultados da ALL no primeiro trimestre em meio a aumento de custos que ofuscaram o crescimento nos volumes transportados e de tarifas de frete.

A companhia informou nesta terça-feira uma queda de 78 por cento no lucro líquido do primeiro trimestre ante igual período de 2013, totalizando 7,4 milhões de reais.

Excluindo os efeitos da baixa contábil das operações na Argentina, cuja concessão da ALL foi retomada pelo governo do país, o lucro teria sido de 7,7 milhões de reais no período, queda de quase 84 por cento na comparação anual.

Apenas em operações ferroviárias, principal unidade de atuação da ALL, a queda do lucro foi de 95 por cento, que junto com o recuo de 97,6 por cento do lucro do braço de logística rodoviária Ritmo, ofuscou salto de quase quatro vezes no resultado positivo da Brado, unidade de logística intermodal de contêineres.

O lucro líquido das operações ferroviárias foi de 1,5 milhão de reais, enquanto o da Brado somou 5,2 milhões e a Ritmo zerou seu lucro.

No principal segmento de atuação da ALL, o volume transportado subiu 1,2 por cento na mesma base de comparação, enquanto a tarifa média teve alta de 8,7 por cento. Porém, os custos com serviços prestados subiram 7,1 por cento e as despesas operacionais tiveram alta de 14,4 por cento. Além disso, a unidade ampliou o resultado financeiro negativo em 22 por cento.

Considerando os números consolidados da ALL, a geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) subiu 11,5 por cento, para 444,7 milhões de reais, beneficiada pela melhora nos resultados operacionais.

Às 10h48, as ações da ALL exibiam queda de 0,8 por cento, a 8,83 reais, enquanto o Ibovespa tinha desvalorização de 0,2 por cento.   Continuação...